Por que tantos russos tem um quê de asiático?

Definições do que é ser asiático variam no país, e misturas aumentam dúvidas

Definições do que é ser asiático variam no país, e misturas aumentam dúvidas

Getty Images
Existem mais de 190 grupos étnicos entre os 142 milhões de habitantes da Rússia – desde os russos étnicos, que constituem 78% da população, aos Ket, da Sibéria, com poucos de mais de mil membros. A maioria dos russos étnicos têm uma aparência europeia, mas há muitos que poderiam ser etnicamente classificados como asiáticos.

A diversidade da Rússia muitas vezes surpreende os turistas, que esperam um país homogêneo. A questão é que, embora existam mais de 190 etnias, a Rússia não define oficialmente nenhum grupo como asiático.

Segundo Ígor Kitov, pesquisador do Centro de Antropologia Física da Academia Russa de Ciências, há três possíveis definições para “asiático” em um contexto russo.

“Em primeiro lugar, asiáticos são pessoas que vivem na parte asiática do país”, disse Kitov à Gazeta Russa. “Em segundo lugar, ser asiático é, em grande medida, uma questão de autoidentificação com base na língua e na cultura. Os povos turcos e tungúsicos, por exemplo, poderiam se definir como os asiáticos”, continuou.

Por último, para o pesquisador, os asiáticos russos poderiam ser simplesmente descritos como mongoloides. Entre eles, ele lista os calmucos, evenks, iukaguirs, buriates, tuvanos, khakas, tchuktchis, koriaks, esquimós e aleutas.

Há muitos mais etnias da raça mongoloide na Rússia. No entanto, sua identificação é  difícil, pois que “o território da Rússia moderna é composto por, pelo menos, duas raças: caucasianos e mongoloides, e, depois de muitos anos de convivência, esses se misturaram em todos os tipos de proporções”, explicou Kitov.

O professor Iliá Perevoztchikov, coautor do principal livro para estudantes universitários de antropologia na Rússia, concorda com Kitov. Em entrevista à Gazeta Russa, ele descreveu o termo asiático como “equivocado e vago”.

Tártaros e cazaques de aparência asiática, citados por Perevoztchikov como exemplo, são de origem mista e têm tanto sangue caucasiano como mongol. “Raça é um conceito biológico, enquanto etnicidade é apenas uma noção social”, explicou.

Quantos asiáticos vivem na Rússia

De acordo com o censo russo de 2010, existem 193 grupos étnicos no país (veja abaixo os 10 grupos étnicos asiáticos mais populosos na Rússia hoje).

Embora muitos povos indígenas do norte e do Extremo Oriente russo, como tchuktchis ou aleutas, façam parte da raça mongoloide, não são incluídos no estudo, uma vez que seu número é minúsculo e em sério declínio. O governo federal vem tomando medidas para preservar a cultura e as tradições desses grupos.

Quem exatamente pode ser classificado como asiático é uma questão de debate na Europa, na Ásia e nos Estados Unidos. Pelas definições tradicionais, a Rússia tem 9,5 milhões de habitantes de etnia asiática, que compõem 6,5% da população do país.

Em comparação, de acordo com o Pew Research Center, os asiáticos americanos correspondem a 5,8% da população dos Estados Unidos.

A maioria da população asiática da Rússia vive em áreas rurais. As únicas comunidades asiáticas que são amplamente urbanizadas no pais são as de coreanos, tártaros, uzbeques e quirguizes.

As estatísticas mostram que as mulheres superam os homens na comunidade asiática – tendência presente na sociedade russa em geral.

Origens em várias partes da Ásia

Diversos grupos étnicos asiáticos apresentam uma história vaga, o que dificulta as pesquisas por antepassados.

Os buriatos, por exemplo, são originários de tribos siberianas e mongóis e, eventualmente, se estabeleceram perto do lago Baikal e do território da atual república russa da Buriátia. Foram mencionados pela primeira vez na “História dos Mongóis”, a mais antiga obra literária da Mongólia que sobreviveu desde o final do século 13.

A história dos calmucos também está ligada a outra tribo mongol – os oirates. Os primeiros registros escritos do povo tuvano se referem a eles como os dinglings.

Tártaros e cazaques compartilham ancestrais comuns e falam línguas turcas. Acredita-se que iacutos, bachquírios, uzbeques e quirguizes tenham igualmente descendido dos grupos étnicos turcomanos nativos da Ásia central.

Muitas comunidades coreanas por toda a Rússia tiveram raízes nos coreanos que viveram no Extremo Oriente russo durante o final do século 19. Depois de deixarem o próprio país devido à pobreza, adaptaram-se em terras vazias da Rússia. A URSS deportou a maioria deles nos anos 1930 e hoje vivem em países da Ásia Central.

Vários desses grupos étnicos têm um corpo representativo e centros culturais pelo país, com apoio da Agência Federal para Assuntos Étnicos. A Constituição garante o direito de todas as repúblicas a terem suas próprias línguas oficiais, além do russo.

Rússia tem mais 190 grupos étnicos espalhados pelo país (Foto: Serguêi Guneev/RIA Nôvosti)Rússia tem mais 190 grupos étnicos espalhados pelo país (Foto: Serguêi Guneev/RIA Nôvosti)

Muitos asiáticos de outras repúblicas russas, porém, estão se mudando para Moscou ou outras cidades economicamente desenvolvidas. Em 2013, mais de meio milhão de migrantes internos deslocaram-se para a porção europeia da Rússia.

As estatísticas sobre salários atrasados podem explicar, em parte, a vontade de sair. Em 2015, o Distrito Federal da Sibéria, por exemplo, devia a seus funcionários cerca de 773 milhões de rublos (US$ 13,3 milhões).

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.