Três jovens do tênis russo que ameaçam desbancar Sharapova

Além de fisicamente parecida com Sharapova, Juk também começou cedo na carreira Foto: Photoshot/Vostock-Photo

Além de fisicamente parecida com Sharapova, Juk também começou cedo na carreira Foto: Photoshot/Vostock-Photo

A vitória de Sofia Juk no campeonato júnior de Wimbledon chamou a atenção de técnicos e torcedores para a nova safra de atletas russos que prometem dificultar a vida de adversários estrangeiros. A Gazeta Russa listou as principais candidatas ao posto de Maria Sharapova.

Sofia Juk

É impossível evitar as comparações das novas e talentosas tenistas russas com Sharapova, mas, no caso de Sofia Juk, as semelhanças são ainda mais convincentes.

Vencedora do campeonato júnior de Wimbledon, em julho de 2015, a tenista de 15 anos tem atraído a atenção geral não somente por sua capacidade técnica, mas pela aparência semelhante com a grande tenista russa.

Assim como Sharapova, Juk iniciou sua carreira cedo: aos 9 anos conquistou o primeiro torneio júnior, e aos 12 entrou para a academia de tênis do famoso belga Justine Henin.

Logo começaram os contratos, com a IMG, Reebok e Wilson, para então chegar à final do prestigiado torneio júnior norte-americano Eddie Herr Championships. Aos 13 anos, participou dos torneios profissionais WTA e entrou para a lista dos 1.000 maiores tenistas do mundo.

Sharapova foi vencedora do seu primeiro título no Grand Slam aos 17 anos, tornando-se a primeira mulher russa da história a vencer em Wimbledon. Sofia ainda tem tempo suficiente para repetir a conquista da compatriota, ainda mais que ela tem uma vantagem sobre Sharapova: a jovem chegou ao tênis mais tarde, aos 6 anos, pois antes praticava ginástica artística.

“Eu gosto de ganhar, mas nenhuma de minhas vitórias se compara com a primeira”, disse Sofia em entrevista ao veículo russo PROSport. “Nunca vou esquecer o final daquela partida, tinha de tudo: gritos, lágrimas e quedas. Mas eu ganhei. Quando me perguntam por que tênis, lembro-me dessas emoções, e também porque foi graças ao esporte que posso viajar pelo mundo.”

Anna Blinkova

Anna Blinkova, de 16 anos, disputou contra Sofia Juk a final do júnior de Wimbledon, ficando em segundo lugar no torneio. Mas a tenista de Pavlovsky Posad, nos arredores de Moscou, já acumula oito vitórias em torneios júnior da Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês).

Após prata no júnior de Wimbledon, Blinkova sonha com Aberto dos EUA Foto: Imago/Legion-Media

 

Nas quartas de finais em Wimbledon, Blinkova protagonizou uma das partidas mais emocionantes do torneio ao vencer o set decisivo contra a norte-americana Tornado Alicia Black.

Em entrevista ao jornal esportivo “Sport-Express”, a jovem tenista revelou que a derrota na final tem a ver com o fato de que ainda não havia treinado em quadras grandes como a de Wimbledon.

“Eu não estava acostumada, muito barulho na arquibancada e quadra bem ampla. Não conseguia sentir as linhas quando rebatia a bola e perdi em velocidade contra ela [Sofia Juk]”, disse.

Ao contrário de Juk, que mora na Bélgica, Blinkova treina nas quadras da Universidade Estatal de Educação Física, em Moscou.

Entre os planos futuros da tenista, que tem como ídolo Serena Willians, estão a participação no campeonato júnior do Aberto dos EUA. Talvez, Blinkova tenha mais sorte nas quadras de Flushing Meadows, já que a quadra dura (de cemento, plástico ou asfalto) é a sua favorita.

Anastassia Potapova

O currículo dessa tenista de apenas 14 anos impressiona qualquer veterano. Nativa de Saratov, no Volga, conquistou os campeonatos Eddie Herr International e Orange Bowl na categoria até 14 anos, bem como um dos mais prestigiados torneios juvenis: o Les Petits As, na França.

Potapova: "Sharapova tem estilo de ataque rápido, e esse é meu tênis" Foto:OneGlobal Sports Management  

Atualmente ocupa o 54º lugar na categoria júnior da ITF. Aliás, além dela, não há nenhuma mulher no Top 100 nascida depois de 2001.

Mas a autoconfiança da esportista não está em sua idade, e Potapova evita traçar paralelos ou criar desavenças com Sharapova. “Eu gosto de como ela joga, seu estilo e comportamento. Tem um estilo de ataque rápido: esse é meu tênis”, revelou ao site championat.com.

Anastassia costuma se dar melhor nas quadras de terra da Academia de Tênis Aleksandr Ostrovski, em Khímki, nas proximidades de Moscou. Porém, sua treinadora, Irina Dorônin, enxerga um caminho diferente para a pupila.

“Por mais que Anastassia sonhe em conquistar Roland Garros, seu estilo de jogo é mais adequado para quadras duras”, disse Dorônin ao “Sport-Express”. “Por mais que ela tenha vencido títulos na quadra de terra, a fase júnior não pode ser considerada indicadores”. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Leia mais