5 estações da Linha Roxa do metrô de São Petersburgo que são verdadeiras joias

Legion Media
A linha roxa é a mais recente do metrô de São Petersburgo e já bateu vários recordes. Ela é a mais profunda, a mais moderna no quesito de tecnologia e também a mais decorada, com os mais belos mosaicos!

A linha 5 do metrô de São Petersburgo, caracterizada pela cor roxa, conecta o norte  ao sul da cidade, passa por baixo do rio Nievá e leva os passageiros ao museu Hermitage, ao estádio de São Petersburgo e à estação central de ônibus. Seu trecho mais profundo está localizado a 129 metros do solo, mas a profundidade média de suas 15 estações é de 51 metros.

O Russia Beyond compilou uma lista das mais interessantes entre essas estações:

1. Admirálteiskaia

Situada no centro histórico de São Petersburgo, esta estação é muito popular entre os turistas. A Praça do Palácio e o Museu Hermitage estão a apenas três minutos a pé, mas é preciso usar duas escadas rolantes para ir da plataforma até a rua. Seja paciente ao subir e descer, já que você terá que percorrer um recorde de 86 metros abaixo do solo.

O nome da estação está ligado ao prédio do Almirantado, que fica próximo dali. Ele é o primeiro estaleiro de construção naval estabelecido por Pedro, o Grande, em 1704. Reza a lenda que Pedro o projetou sozinho (e há uma imagem dele nos imensos mosaicos no final do corredor). 

Mosaicos com Pedro, o Grande, construindo o Almirantado.

As paredes da estação Admirálteiskaia recontam a história naval da Rússia. O mármore cinza simboliza o Mar Báltico, enquanto os medalhões de metal representam renomados almirantes russos. Não deixe de dar atenção à elegante bússola no hall superior e faça um vídeo na escada rolante de 125 metros: uma das mais longas da Rússia.

A bússola no hall superior da estação Admirálteiskaia.

2. Sportívnaia

Localizada próximo ao Estádio Petróvski e ao Palácio de Esportes Iubileini, esta estação foi originalmente apelidada de Olimpískaia. É por isso que seus lustres laterais se parecem com chamas olímpicas e os halls são decorados com atletas de corpos delineados e deuses gregos.

Hall superior da estação Sportívnaia decorado com atletas e deuses gregos.

O historiador do metrô Dmítri Grafov compara a Sportívnaia com um porta-joias subterrâneo exclusivo, cheio de surpresas.

“Esta estação tem dois andares. No futuro, cada andar poderá receber dois trens de linhas diferentes – da roxa e da circular, que ainda não foi concluída”, explica Dmítri.

Isso cria certa confusão, pois alguns passageiros não veem os trilhos do outro lado da plataforma e começam a entrar em pânico, porque não sabem como chegar ao centro da cidade. O truque é simples: basta descer ao pavimento inferior usando a pequena escada rolante.

O sinal na plataforma da Sportívnaia indica que não há embarque, o que geralmente confunde os passageiros.

“A estação Sportívnaia tem impressionantes 22 metros de altura! É como um prédio soviético padrão de sete andares”, continua Grafov. Em 2015, um túnel subaquático foi acrescentado às maravilhas da estação. É um trajeto confortável para os turistas que desejem explorar a ilha Vassílievski.

3. Zvenigoródskaia

A estação foi uma das primeiras da linha roxa, recém-inaugurada em 2008. Serve como uma importante transferência para a linha vermelha. O nome está associado à rua Zvenigoródskaia, que fica na superfície, e seu tema principal teve inspiração no Regimento de Salva-vidas Semiônovski.

Estação Zvenigoródskaia.

O quartel dos oficiais e seu local de desfile ficavam na superfície nos entornos desta estação. Normalmente, apenas homens barbeados, de cabelos castanhos e olhos azuis eram aceitos nesse regimento. Mas, se você olhar para os mosaicos na plataforma, perceberá um erro engraçado: todos os homens neles têm olhos castanhos.

Mosaicos na plataforma da estação de metrô Zvenigoródskaia.

O homem retratado no meio é Borís Cheremiêtiev, o marechal de campo do exército russo sob o reinado de Pedro, o Grande (o tsar é o segundo, a contar a partir de Cheremiêtiev). O mármore verde e o granito vermelho, encomendados especialmente da Índia, transformaram o hall em um elegante palácio, onde os oficiais podiam celebrar suas vitórias.

4. Obvôdni Canal

Apesar de São Petersburgo ser famosa por seus inúmeros rios e canais, a área do canal Obvôdni raramente é visitada por turistas. Ela costumava ficar às margens da cidade no início do século 20, e era ali que todas as suas fábricas estavam concentradas. Mas vale a pena ver a estação na atualidade, especialmente se você estiver chegando de ônibus (o metrô fica a cinco minutos a pé da estação central de ônibus).

Arcos de metal vermelho na estação Obvôdni Canal garantirão fotos espetaculares para o seu Instagram

Para Ivan Pakalov, um guia turístico que faz excursões no metrô, a Obvôdni Canal é a estação mais atraente da linha roxa. “Ela magicamente transporta todos para a época do boom industrial de São Petersburgo, na segunda metade do século 19. Os painéis de vidro e de cerâmica nas paredes nos dizem muito sobre esse período, e é possível estudar a história apenas olhando para eles”, diz Ivan.

A estação Obvôdni Canal tem design moderno e imagens históricas.

As fotografias de arquivo reproduzidas nos painéis agradam aos fãs de história, enquanto os arcos de metal vermelho garantem fotos espetaculares para o Instagram.

5. Mejdunarôdnaia

A estação, cujo nome significa "Internacional", fica situada no bairro de Kuptchino, que detém um status especial no folclore local.

Ele é ironicamente apelidado de “capital do mundo”, apesar de situado às margens da cidade e ter reputação de se assemelhar a um gueto urbano soviético. Apesar de a área ser bastante cinzenta, monótona e consistir principalmente de blocos de edifícios monótonos soviéticos, o hall desta estação é borbulhante.

Mosaicos sobre a escada rolante da estação Mejdunarôdnaia.

A artista local e residente do bairro Sasha Pavlova, vê a estação através de uma lente artística: “Certa vez, meu vizinho inventou uma fórmula para a obra-prima ideal: ela deve ser enorme, com um tema épico e uma moldura dourada. As famosas colunas de ouro da Mejdunarôdnaia me animam pelo mesmo motivo, pois elas me lembram dos cães de balão dourado kitsch do artista americano Jeff Koons”, diz ela.

As colunas douradas da estação Mejdunarôdnaia lembram os moradores dos cães de balão do artista norte-americano Jeff Koons.

As colunas, na verdade, são revestidas com latão, e não ouro. Inicialmente, dois dos mosaicos deveriam ter sido dedicados à amizade internacional, mas hoje em dia os visitantes podem admirar heróis da mitologia grega: um gigantesco Atlas e um Ícaro voador. 

LEIA TAMBÉM: 5 livros para entender por que os russos acham São Petersburgo depressiva

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies