10 curiosidades sobre Kertch, a cidade mais antiga da Rússia

Fortaleza Ieni-Kale, em Kertch.

Fortaleza Ieni-Kale, em Kertch.

Legion Media
Fundada pelos gregos antigos, a cidade ainda carrega seu legado arquitetônico pelas ruas e praças. Aqui você pode reconstituir a história e o desenvolvimento de toda a península da Crimeia.

1. É lar de mamutes e neandertais

Caverna Taurida, onde foram encontrados restos pré-históricos.

Poucos lugares na Rússia podem se orgulhar de suas origens pré-históricas. Mas, em Kertch, arqueólogos encontraram fósseis do período Paleolítico, alguns datando de 100 mil anos. Além disso, eles descobriram restos de ferramentas de pedra, o que sugere que os neandertais já habitavam a região. Um dente de mamute também esteve entre os achados ali.

2. Foi fundada pelos gregos antigos

Ruínas de Panticapaeum.

A primeira aldeia local surgiu entre 610 e 590 antes de Cristo, quando gregos da região de Caria, na moderna Turquia, fundaram a cidade de Panticapaeum. Os estudiosos acreditam ela que foi uma colônia grega bastante grande, com uma imponente Acrópole dedicada a Apolo.

No século 5 antes de Cristo, a cidade se tornou a capital do Reino Helenístico do Bósforo e, mais tarde, uma colônia romana. As ruínas de Panticapaeum sobreviveram até a atualidade.

Ao redor da cidade foram construídas uma necrópole e várias elevações com os túmulos dos reis citas, a quem os gregos incumbiram de governar sua colônia. Arqueólogos do século 19 encontraram nos túmulos um verdadeiro tesouro de ouro cita, que hoje está em exposição nos maiores museus da Rússia e da Europa.

3. Tem uma basílica bizantina intacta

Catedral de São João Batista.

No século 7 depois de Cristo, a Crimeia ficou sob o jugo do quinhão Oriental do Império Romano-Bizantino dividido. O imperador Justiniano 1° construiu novas cidades na península. Panticapaeum foi rebatizada de Bósforo e elevada a sua antiga condição de glória.

A Catedral Bizantina de São João Batista existe desde esse período e é um dos mais antigos templos de toda a Rússia. Pesquisadores não entram em consenso sobre sua data de construção, mas ela teria começado entre os séculos 7 e 10 e continuado até o século 19.

4. Antigas tribos russas lhe deram nome

“Visitantes de além-mar”, pintura de Nicholas Roerich.

Após o enfraquecimento do Império Bizantino, o controle da cidade passou para diversas tribos e canatos. No século 9, a península de Kertch foi brevemente ocupada por príncipes da antiga Rússia, que estabeleceram ligações comerciais com Kiev, que então era sua capital. E, enquanto os cazares nômades chamavam a cidade de Karcha (que significa "outra margem"), os russos a batizaram de Kortchev, nome que, pouco a pouco transformou-se em Kortch ou Kertch.

5. Foi governada pela Horda de Ouro, Gênova e otomanos

Ruínas da fortaleza turca Ieni-Kale.

A partir do final do século 13, a Horda de Ouro dominou a Crimeia. Seus líderes militares e governantes foram assimilados pela população local - os tártaros da Crimeia e o exército da Horda eram constantemente reabastecidos com mercenários da Crimeia. Quando o enorme Estado acabou se fragmentando, surgiu o Canato da Crimeia.

No século 14, Kertch e sua vizinha Feodosia tornaram-se colônias da República de Gênova. Pagando impostos ao Canato, os mercadores de Gênova estabeleceram a pesca e o comércio ali, transformando a cidade em um próspero porto.

No final do século 15, o Império Otomano capturou todas as colônias genovesas e, em seguida, todo o Canato da Crimeia. No início do século 18, quando os turcos começaram a temer o crescente poderio militar do Império Russo, eles construíram a Fortaleza Ieni-Kale, que existe em Kertch até hoje.

6. Ela se tornou parte do Império Russo no século 18

Entrada para a Fortaleza de Kertch.

Após as exaustivas guerras russo-turcas, o exército russo capturou a fortaleza Ieni-Kale em 1771 sem lutas. O tratado de paz resultante anexou a Crimeia ao Império Russo.

No século 19, a Rússia decidiu fortalecer o estreito entre os mares Negro e Azov, e o resultado foi a Fortaleza de Kertch. A cidade passou a se desenvolver ativamente como porto, paralelamente à extração de calcário e minério de ferro. Mas Kertch sofreu muito durante a Guerra da Crimeia, quando a Rússia lutou contra uma aliança entre Inglaterra, França e Turquia.

Monumento à Defesa da Pedreira Adjimushkaiski.

Um dos principais pontos turísticos da cidade é a pedreira Adjimushkaiski. Durante a Segunda Guerra Mundial, Kertch foi ocupada por forças alemãs e romenas e quase destruída. A defesa dos partisãos da pedreira durou vários meses. Hoje, a pedreira abriga um museu.

7. Abriga o vale dos vulcões de lama

Vulcões de lama Bulganak.

Na Rússia, existem apenas dois lugares onde você pode ver a maravilha natural que são os vulcões de lama ativos. Os dois ficam muito próximos: um na Crimeia e o outro, na península vizinha de Taman.

Os vulcões de lama Bulganak, ao norte de Kertch, são um vale com sete crateras cuja “erupção” é de lama terapêutica, rica em boro, iodo e soda. As “erupções” ocorrem principalmente no inverno, quando as fontes de lama podem atingir 15 metros de altura.

Turistas no Lago Tchokrak.

Ali perto fica o lago salgado Tchokrak, também rico em lama. Uma enorme quantidade de turistas vai até ali para mergulhar na lama fria e escura.

8. É a capital dos peixes na Crimeia

Pescador em Kertch.

A indústria pesqueira é forte em todas as cidades da península, mas em Kertch a pesca é uma das ocupações mais antigas e importantes. A cidade é conhecida como “a capital do peixe na Crimeia”. Ali, é obrigatório provar os mexilhões, “hamsa” (anchovas), “rapana” (caracois do mar), “katrana” (tubarão do Mar Negro) e a tainha frita.

Peixe em molho de tomate enlatado produzido pela indústria local.

E não deixe de comer os peixes tipo “bullhead” (peixes de cabeça grande) com molho de tomate: esta iguaria de Kertch foi um dos alimentos enlatados mais populares na União Soviética!

9. Tem um dos resorts mais populares da Crimeia

Kertch tem um grande número de praias, muitas com areia – algo raro na rochosa Crimeia. Ali também é possível escolher entre o mar Negro e o de Azov. O último é bem raso, por isso é ótimo para ir com as crianças.

Praia em Kertch.

Kertch tem muitos hotéis e casas particulares que oferecem alojamento e café da manhã. Os moradores locais recomendam férias nas aldeias vizinhas de Gueroievskoie, Iurkino e Iakovenkovo, que ficam longe do porto e têm uma linda água limpa. Já a cidade praieira local fica na pitoresca costa de Archintsevskaia. Aliás, os ventos ali são fortes o suficiente até para praticar windsurf.

10. É ligada à Rússia pela ponte mais longa do país

Ponte Kertch, na Crimeia.

Antes da construção da ponte, a única maneira de chegar à Crimeia vindo da Rússia continental era de balsa. No verão, a espera podia ser de 24 horas ou mais. Mas, após a construção da ponte Kertch (ou Crimeia) atravessando o estreito e conectando a cidade a Taman, no Território de Krasnodar, o tempo de travessia foi reduzido para apenas 40 minutos. Com 19 quilômetros de comprimento, esta é a ponte mais longa da Rússia e uma das mais longas de toda a Europa.

 

LEIA TAMBÉM: Como a Crimeia se tornou parte do Império Russo?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies