Arranha-céu horizontal e com escritores nus? Eis os 7 edifícios mais incomuns de Moscou

Mergulhe no surrealismo da capital russa.

Instituto de Química Bio-orgânica de Moscou (Rua Miklukho-Maklaya, 16/10)

O Instituto de Química Bio-orgânica de Moscou é o único edifício do mundo construído em um formato semelhante ao de uma molécula de DNA. Isso pode ser observado claramente do alto, mas, quando se está em solo, o edifício é um impressionante exemplo da arquitetura brutalista.

Garagem Gosplan (Rua Aviamotornaya, 63)

Outro exemplo do talento de Konstantin Melnikov, esta garagem de aparência futurística do Comitê de Planejamento Estatal foi o trabalho final do arquiteto. A gigantesca janela circular (que leva à cantina dos trabalhadores) assemelha-se a um farol. O projeto original tinha dois ‘faróis simétricos’, mas só um foi construído.

A casa plana (Presnensky Val, 36)

Uma casa que é aparentemente plana – o terreno construído em 1910 tinha um formato peculiar, de modo que o arquiteto encontrou uma maneira de ‘encaixar’ a casa, fazendo com que um de seus ângulos fosse bastante aguçado.

O arranha-céu horizontal (Varshavskoe Shosse, 125)

O edifício mais longo de Moscou, localizado na Varshavskoe Shosse, tem 7 andares e 735 metros de comprimento. Construído nos anos 1970, ele se estende por três pontos de ônibus e é basicamente composto por escritórios para aluguel. 

A casa com um copo (Ostozhenka, 3/14)

Este edifício residencial foi construído entre 1907 e 1909 no terreno pertencente ao empresário Iakov Filatov. Em determinado momento de sua vida, Filatov começou a beber compulsivamente e quase perdeu todo o seu dinheiro e negócios. Após se recuperar, Filatov ordenou que uma torre sobre o edifício tivesse a forma de um copo virado – de modo que sempre se lembrasse de não começar a beber de novo.

A casa com animais (Bulevar Chistoprudny, 12)

Uma das primeiras construções de Moscou com concreto armado, este prédio foi erguido em 1908 e 1909. Serguêi Vachkov, aluno do famoso pintor Viktor Vasnetsov, projetou o muro externo, feito de baixos relevos de terracota que retratam animais fantásticos. Vachkov disse ter se inspirado na decoração da Catedral de São Demétrio, construída no século 12 em Vladímir (200 km a leste de Moscou).

A casa com escritores nus (Rua Plotnikov, 4/5)

Construído em 1907, este edifício residencial foi projetado por Nikolai Jerikhov, um dos arquitetos proeminentes da art nouveau de Moscou que adorava decorar seus prédios com esculturas e baixos-relevos. Este é o seu trabalho mais chamativo, porque nele Tolstói “beija” Púchkin.

Quarenta figuras em tamanho natural são arranjadas em grupos de dois ou três e se assemelham bastante a escritores russos, como Tolstói, Púchkin, Gógol e outros, acompanhados por musas (ou prostitutas?), e vestidos com togas e em poses frívolas. Em Moscou, ficou conhecida como “A casa com escritores nus”. Após reforma recente, os baixos-relevos estão em perfeitas condições.

LEIA TAMBÉM: O que significa um dia na vida da gigante Moscou? 

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies