Sevastopol, a base marinha escondida em um polo turístico pós-soviético

Na maior cidade da Crimeia, marinheiros convivem diariamente com turistas.

Protegidas do vento, as baías de águas profundas se estendem ao longo de vários quilômetros pela costa rochosa. É exatamente por isso que Sevastopol se tornou a mais importante base naval russa no mar Negro e desempenhou esse papel por vários anos.

A celebração do Dia da Marinha, no último domingo de julho, é muito popular na região.

Os cadetes das academias navais passeiam pela cidade, marinheiros tomam as ruas, turistas e locais usam chapéus de marinheiro e jaquetas militares, e crianças saem de uniformes. Nesse dia, parece a cidade é apenas habitada por oficiais da Marinha.

No entanto, no resto do ano, Sevastopol é um centro turístico à beira do mar Negro. Suas ruas estão cheias de lojas de suvenires, e os turistas lotam as praias da região.

Catarina, a Grande fundou Sevastopol, cidade portuária do mar Negro no sudoeste da península crimeana, em 1783. Atualmente, é uma cidade de importância federal.

A imperatriz escolheu esse nome que é traduzido do grego de diferentes maneiras: “cidade majestosa”, “cidade da glória” ou “muito estimada”. O que atraiu Catarina e os comandantes militares para a Crimeia foram suas baías de águas profundas.

O cerco a Sevastopol, entre setembro de 1854 e setembro de 1855, foi decisivo no curso da Guerra da Crimeia. As forças francesas, britânicas e otomanas levaram um ano para tomar a cidade.

No entanto, Sevastopol teve seu momento mais difícil durante a Segunda Guerra Mundial. Nos anos de 1941 e 1942, os soldados do Exército Vermelho e os marinheiros da Frota do Mar Negro defenderam a cidade das tropas nazistas durante 250 dias.

Depois desse período, as tropas soviéticas enfim se renderam. Mas, mesmo durante o período de ocupação alemã, houve um forte movimento de resistência em Sevastopol.

Um quarto dos 1.000 quilômetros quadrados do imponente território de Sevastopol é composto por mar. No restante, há fortes, monastérios em cavernas em Inkerman (a 5 km do centro), uma parte das montanhas da Crimeia e reservas naturais.

A vila de Balaclava, que antes era independente e hoje detém status de distrito de Sevastopol, é outro centro turístico a 10 km dali e abriga uma base subaquática secreta.

Atualmente, porém, a base soviética está aberta a visitantes em geral.

Gostaria de ver mais sobre a península? Então confira "Palácio Massandra, na Crimeia, tem séculos de história russa". 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais