Guia do transporte em Moscou: como economizar tempo e dinheiro

Estação Serpukhovskaya, em Moscou

Estação Serpukhovskaya, em Moscou

Evgeny Biyatov/RIA Novosti
Bilhetes de papel e fichas de metal são (quase) passado na capital. Agora, para pegar transporte em Moscou, basta um smartphone ou pulseiras especiais com microchips.

Os moradores de Moscou podem agora carregar seus cartões de transporte Troika (um análogo moscovita do “bilhete único” em São Paulo, por exemplo) pelo aplicativo oficial do metrô de Moscou, anunciou sua assessoria no último dia 31 de outubro.

Para colocar crédito no cartão, os passageiros devem baixar o aplicativo e transferir dinheiro por meio de conexão via NFC. No entanto, há outros meios – inclusive, mais tecnológicos – de garantir sua passagem nos diversos meios da transporte de Moscou.

Cartão Troika

Esta é, sem dúvidas, a opção mais conveniente ao usar transporte público na capital russa. Esse cartão de plástico, semelhante ao existente em cidades maiores no Brasil, é válido por cinco anos, portanto, não se deve jogá-lo fora depois da viajar à Rússia. Com ele, dá para pegar metrô, trem circular, ônibus, trólebus e bondes

em Moscou.

Cada viagem custa 35 rublos (R$ 1,95), mas, se outro meio de transporte for usado dentro de 90 minutos, o acréscimo é de apenas 19 rublos (R$ 1,05) na segunda viagem. As mudanças posteriores dentro desses 90 minutos são gratuitas.

Para carregar o cartão, há algumas opções: comprar no próprio guichê ou nas máquinas das estações, ou ainda por meio do aplicativo especial do Metrô de Moscou. As bilheterias aceitam dinheiro e cartões. De acordo com o site oficial do departamento de metrô, o máximo acumulado por cartão Troika é 3.000 rublos (R$ 168). Se o crédito não for inteiramente usado durante a estadia em Moscou, é possível devolver o cartão e obter a quantia não usada de volta (somente possível nos Centros de Serviço do Metrô).

Os usuários podem checar a quantidade de crédito restante pelo aplicativo ou em pequenos terminais amarelos dentro das estações.

Ponto importante – um cartão só deve ser usado por uma pessoa (as regras do metrô indicam que cada pessoa deve ter seu próprio bilhete). Você também pode receber uma multa de 1.000 rublos (R$ 56) se for pego no metrô sem um bilhete válido.

Como obtê-lo: Obtenha o cartão em qualquer bilheteria ou máquina de venda de bilhetes nas estações de metrô. O cartão custa 50 rublos (R$ 2,80), restituídos ao devolvê-lo. 

Bilhete unificado (Ediny)

Esse cartão de papel vermelho pode ter 1, 2, 20, 40 ou 60 viagens em qualquer tipo de transporte público de Moscou, e o preço depende do número de viagens (quanto maior for o número, menor o valor unitário). Para quem planeja usar bastante transporte público, vale a pena comprar um bilhete com 60 viagens por 1.700 rublos (R$ 95). O bilhete unitário ou para duas viagens só é válido para cinco dias, mas os outros tipos de bilhetes podem ser usados ​​por um período de até três meses.

Se você não planeja usar o metrô, peça um cartão apenas para transporte terrestre (azul escuro com inscrição ‘TAT’ ​​na capa), que custa 1.150 rublos (R$ 64) para 60 viagens.

Como obtê-lo: compre esse cartão em qualquer bilheteria de metrô. Os bilhetes para uma ou duas viagens também podem ser adquiridos pelas máquinas de autoatendimento. 

Bilhete diário

Os moscovitas geralmente compram bilhetes sem limites de viagem para períodos específicos – seja 30 ou 60 dias, ou um ano. Mas o metrô de Moscou também oferece bilhetes especiais para turistas – diários (210 rublos, ou R$ 11,70), dois dias (R$ 28) e uma semana (R$ 43). Estes podem ser utilizados ​​em qualquer tipo de transporte público e também não possuem limite de viagens dentro do período comprado.

Como obtê-lo: comprar esse bilhete em qualquer bilheteria de metrô.

Tudo por 90 minutos

Outro tipo de bilhete permite pegar uma vez o metrô e fazer um número ilimitado de viagens em outros transportes públicos de Moscou durante 90 minutos. O cartão pode ser unitário (65 rublos, ou R$ 3,65), para duas viagens de metrô (130 rublos ou R$ 7,25), ou para 60 (2.650 rublos, ou R$ 148). Você pode carregar seu Troika e ir usando os créditos.

Como obtê-lo: compre cartão em qualquer estação de metrô.

Pagamento via aplicativo

Desde o final de 2016, é possível comprar bilhete de metrô via Samsung Pay e Apple Pay (que pode ser instalado no iWatch). O unitário sai por 40 rublos (R$ 2,25).

O sistema está disponível em todas as estações ferroviárias e em 80 estações de metrô.

Como obtê-lo: basta baixar o Samsung Pay ou o Apple Pay.

Bilhetes vestíveis

Recém-lançados, braceletes, anéis e chaveiros com microchips de transporte não são apenas uma lembrança da capital russa, mas também uma forma de usar o metrô. A pulseira sai por 450 rublos (R$ 25), o chaveiro, por 350 rublos (R$ 19), e o anel, 2.200 rublos (R$ 123). O preço da tarifa é o mesmo que praticado no cartão Troika.

Como obtê-los: Somente no quiosque de souvenires da estação de metrô Pushkinskaya e nas lojas de souvenires nas estações Mayakovskaya e Trubnaya.

A título de curiosidade, em 2015, o engenheiro moscovita Vlad Zaitsev implantou um desses chips em sua mão, de modo que bastava acenar para a máquina de metrô que sua passagem era computada. A ideia pouco convencional não foi teve seguidores.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.