Moscou na ponta do lápis: quanto custa viver na capital

Cidade ficou mais acessível após derrocada do rublo

Cidade ficou mais acessível após derrocada do rublo

Legion Media
Embora não seja a cidade mais cara do mundo, Moscou pode ser um desafio para expatriados que acabaram de se mudar. A Gazeta Russa reuniu os preços médios de moradia, transporte e entretenimento para facilitar os cálculos – e avaliar os riscos.

Moscou pode parecer muito distante e inaccessível para pensar em se mudar. É a maior e mais cara cidade da Rússia, mas nem por isso desde afastar potenciais expatriados. Veja a lista das principais despesas com que moradores devem arcar.

Moradia e acomodação

Encontrar um lugar para morar em Moscou é complicado, mas há muitas opções para qualquer orçamento. A maneira mais barata é alugar um quarto individual em um apartamento compartilhado. Dependendo da localização, o custo mensal varia de 15 mil rublos (US$ 253) a 30 mil rublos (US$ 507). Estúdios mais jeitosos e bem mobilados, ou apartamentos com um quarto, custam, pelo menos, 30 mil rublos (US$ 507) por mês nos subúrbios e até 110 mil rublos (1.860 dólares) no centro.

Mercado

Opções de mercado variam em qualidade e preço (Foto: Agência Moskva)Opções de mercado variam em qualidade e preço (Foto: Agência Moskva)

Moscou tem um mercado em cada esquina, e a variedade é grande: diferentes tamanhos, locais, orgânicos e vegetarianos. Encontrar comidas com as quais está acostumado no Brasil não será um tormento. Mas os preços dos produtos importados podem ser, em média, duas ou três vezes maiores. Por outro lado, existem muitos vegetais, frutas, peixes e carnes cultivadas no país, e com preços mais acessíveis. É claro que os valores de itens específicos variam de loja para loja, mas veja abaixo uma lista dos mercados mais populares conforme o orçamento disponível:

Barato – Auchan, Pyaterochka, DIXY

Médio – Magnolia, Perekrestok

Caro – Azbuka Vkusa, Globus Gourmet

Transporte

A capital russa é uma cidade grande e se deslocar consome parcela significativa de seu tempo e dinheiro. A opção mais barata é comprar um bilhete mensal para todas as formas de transporte público (ônibus, bondes e metrô), que custará 2.000 rublos (US$ 33). Se permanecer em Moscou por um tempo, você pode considerar obter um passe de três meses, que custa 5.000 rublos ($ 84), o que será uma economia de mil rublos (US$ 17). Outra opção, para quem não pega transporte público com frequência, é adquirir um cartão Troika: com ele, uma viagem de ônibus ou metrô custa 35 rublos (59 centavos). Se você não comprar um Troika, o custo de uma viagem aumenta para 55 rublos (93 centavos). (veja aqui mais detalhes de como usar o metrô de Moscou).

Os ciclistas também vêm ganhando espaço em Moscou. Há vários pontos na cidade onde se pode alugar uma bicicleta (veja como fazê-lo aqui). No verão, isso é popular entre os moscovitas, mas, à medida que esfria, muitos voltam aos meios tradicionais.

Outra alternativa mais conveniente, embora nem sempre econômica, é percorrer a cidade de carro. Uma corrida de táxi dentro dos limites do centro custa, em média, de 150 a 300 rublos ($ 2 a 5), e, para ir o aeroporto ou subúrbios, será preciso desembolsar de 1.000 a 2.000 rublos ($ 17 a 33). Também é possível alugar um carro por 2.000 rublos (US$ 33) ao dia, com opções mais luxuosas por até 35.000 rublos (US$ 591) a diária. Para quem curte ter carro próprio, vale a pena ter em mente que a opção mais acessível começa a partir de 100 mil rublos (US$ 1.690) e pode chegar a milhões de rublos no caso de veículos novos. As despesas mensais de gás variam de 5.000 a 15.000 rublos ($ 84 a 253) dependendo da quilometragem rodada.

Comer fora

É sempre bom tomar um café no caminho para o escritório ou durante uma volta pela cidade. Em Moscou, isso pode lhe custar de 120 a 300 rublos ($ 2 a 5). É mais barato tomar um cappuccino em um café local do que buscar uma Starbucks, por exemplo.

O almoço sai, em média, por 200 a 500 rublos (US$ 3 a 8). Entre as opções mais em conta estão os estabelecimentos locais, especialmente aqueles que ficam dentro do próprio prédio de escritórios. Mas, se procurar um bom jantar em um restaurante mais elaborado, a conta deve sair de 1.000 a 2.000 rublos ($ 17-33) por pessoa. Veja aqui o guia da Gazeta Russa sobre onde encontrar algo para comer no centro da cidade.

Entretenimento

O cinema é uma das formas mais populares e acessíveis de entretenimento em Moscou, e o custo médio de um ingresso à noite é de 300 a 400 rublos ($ 5 a 6). De manhã, os filmes são mais baratos (até 150 rublos, ou US$ 2); em compensação, nos fins de semana no centro da cidade, ingressos chegam até 700 rublos (US$ 11).

Bilhete para o cinema custa até 400 rublos (Foto: Agência Moskva)Bilhete para o cinema custa até 400 rublos (Foto: Agência Moskva)

Outro passatempo comum na capital da Rússia é saltar de bar em bar. Os preços variam, mas, em média, um coquetel como um Long Island, ou um copo de vinho branco, ou uma cerveja, custará cerca de 300 a 400 rublos (US$ 5 a 6).

Há ainda muitas atrações para pessoas interessadas em música, teatro ou circo. Ao reservar com antecedência, é possível encontrar ingressos por apenas mil rublos (US$ 17). Em média, porém, os preços são: um show de uma banda internacional famosa custa de 3.000 a 4.000 rublos ($ 50 a 67); um ingresso para o Teatro Bolshoi, de 5.000 a 7.000 rublos ($ 84 a 118); e ao circo, até 4.000 rublos ($67).

Os preços indicados são uma média estimada para se ter uma ideia do custo de vida em Moscou e, assim, ajudá-los quanto de dinheiro será necessário para executar seus planos. Os preços são válidos no momento da publicação e deverão mudar no futuro.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.