Baikal ganhará hotel gigantesco em forma de crânio de mamute

Lago Baikal abriga mais de 2 mil espécies de plantas e animais

Lago Baikal abriga mais de 2 mil espécies de plantas e animais

Iliiá Pitalev/RIA Nôvosti
Estrutura com presas de 100 metros foi projetada por escultor local. Especialistas veem projeto com ceticismo devido a alto custo de construção e curta temporada turística.

A administração da República da Buriátia, a cerca de 4.000 km a leste de Moscou, planeja construir um hotel em forma de crânio de mamute na margem do Baikal, lago siberiano que contém cerca de 20% da água doce descongelada do planeta.

“Esta será uma construção grandiosa e incomum com um sabor étnico e histórico”, disse o presidente interino da Buriátia, Aleksêi Tsidenov, à Tass.

“Cada presa terá 100 metros de comprimento, e haverá salas e salas de conferência dentro do crânio”, acrescentou Tsidenov.

A expectativa é que o hotel venha a se tornar um “marco entre as atrações turísticas da região”, disse o presidente. Uma maquete do projeto, ainda em fase preliminar, foi recentemente apresentada em Moscou.

O hotel em forma de crânio de mamute foi projetado pelo escultor Dáchi Namdakov, da própria Buriátia, que já havia usado o mamute como inspiração em trabalhos anteriores.

Segundo Namdakov, o edifício principal deverá parecer um gigantesco crânio de mamute esculpido na areia pelas ondas do lago.

O projeto Baikal foi inicialmente apresentado pelo escultor em 2012. Na época, a ideia era que a construção abrigasse um museu e um complexo de estúdios de arte.

Dificuldades do projeto

Especialistas consultados pela Gazeta Russa demonstraram ceticismo.

“O projeto, com presas de 100 metros que abrigam salas de conferências, não pode ser implementado na prática”, diz Stanislav Ivachkevitch, vice-presidente de desenvolvimento do operador hoteleiro Cosmos Group.

“Uma sala de conferências deve ser sala plana com uma área útil de pelo menos 100 metros quadrados; deve ter escadas, elevadores e salas de apoio”, continua.

Ivachkevitch estima que a construção de um hotel padrão de tamanho similar exigiria, no mínimo, US$ 120 milhões, e dar forma a um crânio de mamute seria ainda mais caro. “Qualquer pessoa teria dúvida sobre a possibilidade de retorno do investimento. Considerando que os fluxos turísticos para o lago Baikal são estritamente sazonais, o hotel poderia começar a dar lucro em 50 a 60 anos. Eu, pessoalmente, não conheço investidores que concordariam em participar sob esses termos”, explica.

Kirill Irtiuga, diretor geral do operador hoteleiro RosinvestHotel, concorda: “Para os turistas que chegam a Baikal Haven [a zona econômica especial da Buriátia], o serviço de qualidade não é menos importante que a arquitetura, o folclore e aspectos étnicos. Um único hotel de mamute não pode atender às suas necessidades”.

Segundo Irtiuga, é preciso desenvolver um projeto abrangente para a área, que inclua potenciais itinerários para visitantes, logística de chegada, hospedagens e serviço em geral de qualidade, além de segurança.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.