Russo é preso na Noruega por planejar ataque terrorista

A polícia bloqueou uma área no centro de Oslo e prendeu um homem após a descoberta de um "equipamento similar a uma bomba", em Oslo, em 8 de abril deste ano.

A polícia bloqueou uma área no centro de Oslo e prendeu um homem após a descoberta de um "equipamento similar a uma bomba", em Oslo, em 8 de abril deste ano.

Reuters
Adolescente de 17 anos chegou ao país em 2010 com a família.

Um russo de 17 anos chamado Issa B. (a lei proíbe a divulgação do sobrenome do suspeito), foi preso pelo tribunal da Noruega sob suspeita de preparar um ataque terrorista em Oslo, informou o jornal “Kommersant” de 12 de abril. 

Segundo o jornal, Issa cresceu em uma família de imigrantes da Inguchétia. Em 2010, ele chegou à Noruega com sua família e apresentou um pedido para receber o status de refugiado. A família estabeleceu-se na cidade de Vadso, onde vive uma grande comunidade russófona.

Depois de algum tempo, os pais do jovem decidiram voltar à Rússia e Issa permaneceu na Noruega. Após a partida da família, seu círculo social teria se alterado. Ele estabeleceu contato com compatriotas que haviam se espalhado pelo mundo, incluindo pessoas na Síria e no Afeganistão. Alguns deles publicavam textos extremistas em suas páginas nas redes sociais.

O russo foi detido em 8 de abril perto do rio Akerselva, em Oslo. De acordo com as informações da polícia, ele havia deixado uma caixa suspeita debaixo de uma ponte. Chamados ao local, especialistas antibombas destruíram o objeto. Os agentes de segurança tiveram dificuldade em dizer de imediato se de fato havia uma bomba na caixa, porém foi observado que a explosão produziu um som mais alto do que o esperado.

De acordo com os advogados de Issa, ele nega categoricamente o seu envolvimento com qualquer grupo terrorista ou extremista e afirma que não tinha intenção de cometer um atentado terrorista, nem de prejudicar alguém.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.