Um brinde ao aniversário da vodca!

Data marca também definição de teor alcoólico em 40%

Data marca também definição de teor alcoólico em 40%

Shutterstock/Legion-Media
Estrangeiros dão parecer sobre bebida russa que celebra 152 anos desde sua apresentação oficial. Há relatos, porém, de que vodca surgiu ainda no século 14.

Indispensável em qualquer celebração russa, vodca tem criação celebrada em 31 de janeiro. Foi neste dia, em 1865, que o famoso químico Dmítri Mendeleev defendeu sua dissertação “Sobre a combinação de álcool com água”.

Edgar Espino, 32 anos, mexicano, louco por arte e russas

É algo de que a Rússia se orgulha, então, por que não beber? Acho que a vodca é a bebida alcoólica mais popular nesse país.

Foi em 31 de janeiro de 1865, há exatos 152 anos, que o cientista russo Dmítri Mendeleev defendeu sua dissertação de doutorado “Sobre a combinação de álcool e água”, que deu origem à receita única da bebida e definiu o teor alcoólico em 40%; a ideia inicial era usá-la para fins puramente científicos.

Massimo Bonato, 50, italiano, trabalhou no setor de gás natural na Rússia

É uma data que deve ser comemorada, assim como os festivais de vinho na Itália ou na França.

A popularidade internacional da vodca a torna um símbolo de Rússia, junto com a boneca de madeira matriochka, a figura do urso urso, e a balalaika.

Ivan Moreno, 41, espanhol, empresário, casado com uma russa

Ouvi falar de vodca pela primeira vez quando ainda era uma criança. Meus pais ganharam uma garrafa de presente, mas eles nunca tiveram coragem de beber. No fim das contas, experimentei vodca pela primeira vez apenas um ano atrás, quando uma namorada de minha esposa nos visitou da Rússia. É impossível beber direito. A única opção é preparar coquetéis; por exemplo, vodca misturada com suco de laranja.

A vodca tem sabor?

Muitos acham que a bebida não tem gosto.

Christoforos, 43, cipriota, trabalha em uma exportadora de vodca

A maioria das bebidas alcoólicas fortes, ao contrário do vodca, são feitas de certas ervas ou alimentos. O raki turco, por exemplo, tem forte sabor de anis, enquanto a zivania cipriota ou a grappa italiana são feitas de uvas. Quando meus amigos russos vêm me visitar, bebemos vodca. Já ouvi que a regra é que não se deve comer nada depois do primeiro shot, mas isso não é para mim.

Vodca é o melhor presente

Dar uma garrafa de vodca cara e embalagem especial é um bom presente para um estrangeiro, mas na Rússia não há tradição de levar uma garrafa de vodca quando se é convidado para comer na casa de alguém.

Massimo Bonato, italiano

Os italianos preferem dar uma garrafa de vinho bom. A vodca aproxima as pessoas? Certamente, sobretudo depois de matar a primeira garrafa. Eu gosto de vodca russa e acho que é um bom presente.

Na Rússia, a vodca é servida com entradas ou também com o prato principal. O melhor é colocar a garrafa na geladeira algumas horas antes de beber. A vodca deve ser consumida em copos de shot de 50 ml, e de uma vez só. A dica? Expire, dê um gole e então inspire enquanto a bebida desce.

Edgar Espino, mexicano

A vodca é uma das bebidas favoritas das garotas mexicanas. Eu só bebo às vezes, mas com gelo e água, porque, em geral, sou mais da cerveja. Até sei como brindar em russo – “Vache zdoróvie!” (À sua saúde!). Um amigo beberrão russo, Nikita, que me ensinou isso.

Apesar da celebração em 31 de janeiro, a vodca surgiu pela primeira vez na Rússia no século 14, quando os cirurgiões italianos em visitam usaram-na como um antisséptico.

Manuchar, 45, iraniano, vive na Rússia há mais de 20 anos, onde trabalha como consultor em uma petroleira

Eu não acho que vodca funcione como um remédio, mas pode certamente levantar o ânimo e ajudar a esquecer problemas. Na Rússia, as negociações acompanhadas de vodca costumam facilitar os acordos. O principal é não exagerar; caso contrário, a ressaca da manhã seguinte pode ser braba.

A melhor maneira de lidar com os efeitos secundários da vodca é beber salmoura, algum tipo de caldo forte, ou sair para tomar ar fresco.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.