Sanções chegam ao Linux (e à Times New Roman)

Empresa norte-americana se recusou a licenciar Times New Roman à Astra Linux.

Empresa norte-americana se recusou a licenciar Times New Roman à Astra Linux.

Rbth
Fonte clássica para documentos oficiais foi substituída por nova criação nacional, que será aberta.

Os desenvolvedores do sistema operacional russo Astra Linux, baseado no Linux e criado para atender ao Exército Russo e outras forças armadas e agências de inteligência, estão impedidos de usar fontes como a Times New Roman, Arial, Courier New, Tahoma e Verdana, de acordo com o jornal Kommersant.

A fonte Times New Roman é utilizada em todos os documentos oficiais da Rússia, inclusive nos órgãos governamentais. Assim, a recusa da companhia Imagine Monotype, que detém os direitos das fontes mais populares, em renovar a licença tornou-se um problema sério no país.

Para contorná-lo, o Astra Linux e a empresa "Para Type"desenvolveram novas fontes nacionais abertas, a PT Astra Sans e a PT Astra Serif. Os desenvolvedores do Astra Linux declararam que as novas fontes são "análogas métricas de alta qualidade" da Times New Roman.

Novas fontes da Astra Linux em tabela comparativa com as clássicas que tiveram licenças recusadas / Gazeta RussaNovas fontes da Astra Linux em tabela comparativa com as clássicas que tiveram licenças recusadas / Gazeta Russa

O uso das novas fontes não alterará muito o formato dos documentos, já que as mudanças entre as fontes são mínimas, como a empresa mostra em uma tabela comparativa (ver acima).

A Astra Linux foi criada em 2010 diante da proibição de importação de softwares importados pelo governo russo e provê proteção de dados para informações classificadas "top secret".

A companhia foi certificada oficialmente pelo Ministério da Defesa da Rússia, pelo Serviço Federal para Controle Técnico e de Exportação e pelo FSB (Serviço Federal de Segurança, órgão que substituiu a KGB). 

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.