De tigre a chave do céu, todos os presentes de Pútin

German Chancellor Angela Merkel (L) and Russian President Vladimir Putin (R) visit the industrial fair Hanover Fair in Hanover, Germany, 08 April 2013. Vladimir Putin is on a two-day working visit in Germany

German Chancellor Angela Merkel (L) and Russian President Vladimir Putin (R) visit the industrial fair Hanover Fair in Hanover, Germany, 08 April 2013. Vladimir Putin is on a two-day working visit in Germany

EPA/Vostock-photo
O ex-primeiro-ministro e atual presidente russo Vladímir Pútin completa 64 anos nesta sexta-feira (7). Para celebrar a data, relembramos os mimos mais inusitados recebidos ao longo de sua extensa carreira política na Rússia.

Coro de aniversário

Quando completou 61 anos, Pútin estava em Bali, na Indonésia, participando da cúpula da Apec (da sigla em inglês, Cooperação Econômica Ásia-Pacífico).

Os organizadores decidiram, portanto, felicitar o presidente russo, e o fizeram em grande estilo – o então presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, pegou um violão e cantou “Parabéns para você”, acompanhado de outros líderes dos países-membros da Apec, incluindo os presidentes chinês Xi Jinping e sul-coreano Park Geun-Hye.

Fonte: YouTube/RT

Em resposta, Pútin agradeceu Yudhoyono na língua indonésia, ressaltando a “maravilhosa execução” da música. Segundo o presidente russo, a comemoração em Bali foi modesta; ele teria apenas tomado um shot de vodca com os colegas chineses tarde da noite.

O cuco de Merkel

Em 2013, na abertura da exposição de inovações industriais em Hannover, na Alemanha, a chanceler Angela Merkel deu a Pútin um relógio de cuco com a imagem da águia do brasão alemão. No entanto, nem mesmo o relógio impediu que um ano depois, o líder russo, conhecido por seus atrasos, chegasse 4 horas mais tarde para uma reunião com Merkel.

Segundo Guêrman Gref, presidente do gigante russo Sberbank e amigo de Pútin, o motivo dos atrasos não seria a falta de respeito da parte do líder, mas o desejo que ele tem de ouvir qualquer interlocutor até o fim, mesmo que a sua agenda de reuniões fique comprometida.

Espada do rei

Quando o rei do Bahrein, Hamad bin Isa Al Khalifa, uma visita oficial a Moscou, em fevereiro de 2016, ele levou um presente especial para Pútin – um gládio de aço de Damasco, com punho e bainha feitos de metais preciosos e um nome pomposo: “Gládio da Vitória”.

Em troca de espada, Pútin (dir.) deu cavalo para líder do Bahrein Foto: Mikhail Klimentiev/TASSEm troca de espada, Pútin (dir.) deu cavalo para líder do Bahrein Foto: Mikhail Klimentiev/TASS

Pútin, porém, não ficou em dívida. Em retribuição, o rei Hamad foi presenteado com um garanhão puro-sangue chamado Khadjibek, da raça Akhal-Teke. Uma lâmina por um cavalo – pessoas influentes trocavam presentes desse tipo desde a Idade Média.

Tigre, cachorros e cavalos

Pútin também já ganhou cavalos, cães e até mesmo um tigre de presente. Os cavalos foram dados por governadores e presidentes das repúblicas da Ásia Central (Quirguistão e Turcomenistão) e, em certa ocasião, o rei Abdullah II, da Jordânia, num acesso de generosidade, deu-lhe três cavalos de uma só vez.

O presidente russo também é dono de um exemplar da menor raça de cavalos do mundo – em 2005, ganhou no Hipódromo de Kazan um cavalo da raça Falabella, que tem apenas 57 cm de altura. O animal recebeu o nome de Vádik.

Em 2000, foi a vez Serguêi Choigu, atual ministro da Defesa (e na época ministro para Situações de Emergência), dar a Pútin o seu primeiro cachorro: um Labrador chamado Koni, que em 2007 foi motivo de pavor para Angela Merkel durante uma visita ao Kremlin.

Aleksei Nikólskii / RIA Nóvosti
Alexei Drujinin / RIA Nóvosti
Vladímir Rodionov / RIA Nóvosti
 
1/3
 

Dez anos depois, o primeiro-ministro da Bulgária deu mais um filhotinho de cachorro, chamado Buffy, e, em 2011, outro cão foi enviado pelo governador da província japonesa de Akita, em gratidão pela ajuda após a tragédia de Fukushima.

Vale lembrar que, em 2008, o então primeiro-ministro Pútin recebeu de presente de aniversário um filhote de tigre-siberiano (também conhecido como tigre-de-Amur). O próprio presidente reconhece que este foi o presente de aniversário mais original que já recebeu.

Porém, ninguém ainda teve a ideia de presenteá-lo com um urso – talvez, porque o antecessor de Pútin, Boris Iéltsin, não ficou exatamente feliz depois de ter recebido um presente desse tipo. Vladímir Chevtchenko, que era chefe de protocolo do Kremlin, relembra que, quando soube que um urso dado de presente se encontrava preso a uma corrente no Kremlin, o primeiro presidente da Rússia perguntou: “O que é isso, ficaram loucos?”.

Chave para o céu

Em março passado, durante inspeção a uma nova fábrica de Níjni Nôvgorod que produz componentes para sistemas de mísseis antiaéreos (S-400, S-500 e etc), Pútin ganhou uma cópia do mecanismo de lançamento da estação de radar Niébo-M, destinada à detecção de aeronaves estrangeiras.

“Esta é a chave para um céu pacífico”, declarou Ian Nóvikov, diretor-geral do consórcio Almaz-Antei (detentor da fábrica), ao dar o presente. “Somente Deus possui as chaves para um céu pacífico”, respondeu o presidente, com severidade. “Mas esta será útil”, completou.

Pútin em visita a fábrica em Níjni Nôvgorod Foto: Mikhail Klimentiev/RIA NôvostiPútin em visita a fábrica em Níjni Nôvgorod Foto: Mikhail Klimentiev/RIA Nôvosti

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.