Passageiros que criarem tumulto em voo enfrentarão multa alta e processo

Multa por desordem pública a bordo de avião poderá chegar a US$ 8 mil

Multa por desordem pública a bordo de avião poderá chegar a US$ 8 mil

Ruslan Chamukov/TASS
Proposta apresentada ao Kremlin prevê ainda “lista negra” e camisa de força.Ideia central é transferir a atual responsabilidade da empresa para os tribunais.

Os passageiros que causarem perturbação ou cuja presença possa oferecer risco poderão em breve ter que responder judicialmente ao voar com companhias aéreas da Rússia.

Também está prevista a cobrança de uma multa de até 500 mil rublos (quase US$ 8.000) por desordem pública a bordo de uma aeronave.

A proposta foi apresentada ao presidente russo Vladímir Pútin na quinta-feira (29) por Vitáli Saveliev, presidente da Aeroflot, a maior empresa aérea do país.

“Já passou da hora de fazermos isso”, concordou o presidente, segundo fontes da agência de notícias TASS.

Pela nova regra, as companhias aéreas nacionais teriam permissão legal para impedir o embarque de passageiros problemáticos incluídos em uma “lista negra”.

“Atualmente, as tripulações são apenas informadas sobre essas pessoas antes do embarque, mas não podem evitar que voem”, justifica Saveliev, acrescentando que os funcionários também não podem conter os passageiros violentos durante o voo.

A proposta sugere ainda introduzir recursos para contenção de passageiros agressivos, como algemas de plástico e camisas de força.

“As pessoas estão mais e mais violentas e só se sentem ameaçadas quando existe alguma implicação legal, e nem isso é muito”, acrescenta o presidente da Aeroflot.

“Enquanto decidimos isso, legisladores europeus e norte-americanos consideram a introdução de penas de até 20 anos de prisão para passageiros violentos.”

Em alguns países europeus, a multa por esse tipo de ocorrência pode chegar aos 100 mil euros.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.