Pútin responsabiliza Partido Comunista por queda da URSS

Pútin: "Era possível fazer uma reforma, inclusive de caráter democrático, sem isso"

Pútin: "Era possível fazer uma reforma, inclusive de caráter democrático, sem isso"

Kremlin.ru
Presidente lamenta novamente divisão de país e culpa ideias nacionalistas.

O presidente russo Vladímir Pútin declarou nesta sexta-feira (23) que o próprio Partido Comunista promoveu ideias que levaram à queda da URSS .

"Vocês sabem qual minha atitude em relação à União Soviética. Não era, de maneira alguma, necessário fazer isso. Era possível fazer uma reforma, inclusive de caráter democrático, sem isso", disse o presidente.

"Mas quero chamar a atenção para o fato de que o chefe de nossa ex-pátria, a URSS, estava no Partido Comunista. Foi ele quem promoveu a ideia do nacionalismo e outras ideias destrutivas que são nefastas para qualquer país."

Em janeiro, Pútin já havia criticado as ideias de Lênin, que, segundo ele, levaram à destruição da Rússia histórica. Mais tarde, ele explicou que, com "a mina colocada sob a construção do Estado russo", ele quis dizer a discussão entre Lênin e Stálin sobre como erguer o país soviético.

O último líder soviético foi Mikhail Gorbatchov, secretário do Comitê Central do Partido Comunista da URSS - cargo máximo naquela época - de março de 1985 a agosto de 1991. A partir de março de 1990 ele exerceu também a então recém-criada função de presidente da União Soviética, da qual esteve incumbido até dezembro de 1991.

Em 1989, o Partido Comunista da União Soviética tinha 19,5 milhões de membros.

Com material da agência Lenta.Ru.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.