Rússia bloqueia sites pornôs nesta quinta; resposta vem com conta premium

Órgão que determinou bloqueio diz que "demografia não é mercadoria", em resposta ao site Pornhub.

Órgão que determinou bloqueio diz que "demografia não é mercadoria", em resposta ao site Pornhub.

Vostock-Photo
Pornhub sugere presentear Roskomnadzor com conta premium em troca de desbloqueio e órgão do governo responde com referência à queda da demografia em resposta.

As empresas russas de telecomunicações iniciaram, nesta quinta-feira (15), o bloqueio dos sites adultos Pornhub e Youporn, seguindo ordem do Roskomnadzor (Serviço Federal de Vigilância dos Meios de Comunicação da Rússia), que os incluiu na lista de portais com conteúdo ilegal.

O russo que tenta acessar os sites a partir desta data, depara-se com uma mensagem do provedor informando que o acesso a esses está impedido devido a decisão judiciária.

"Os tribunais decidiram bloquear esses sites por divulgarem conteúdo pornográfico. O desbloqueio é possível apenas após uma mudança completa no repertório dos sites", disse o porta-voz da pasta, Vadim Ampelônski.

Demografia versus pornografia

O bloqueio gerou polêmica na Rússia e rapidamente ganhou os trending topics do Twitter no país, principalmente após o PornHub ter sugerido presentear o Roskomnadzor com uma conta premium para ser retirado da lista.

A declaração foi feita no Twitter oficial do Pornhub:

 

 

O Roskomnadzor usou a mesma plataforma para responder ao site pornô: "Não estamos em um mercado, e a demografia não é mercadoria", lê-se no Twitter do órgão russo. 

Com as agências de notícias Ria Nóvosti e TASS, e o site RG.ru.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.