YouTuber é detido por caçar Pokémon em igreja

Prefeito de Iekaterinburgo saiu em defesa do garoto: "Não se pode prender uma pessoa por idiotice"

Prefeito de Iekaterinburgo saiu em defesa do garoto: "Não se pode prender uma pessoa por idiotice"

Arquivo pessoal
Jovem de 22 anos é acusado de instigar o ódio e insultar sentimentos de fiéis e padre pede que ele seja empalado.

O YouTuber Ruslan Sokolóvski, de 22 anos, foi detido em Iekaterinburgo, na Rússia Central, na última sexta-feira (2), sob acusação de instigação do ódio e insultar os sentimentos dos fieis.

A detenção foi feita após a divulgação de um vídeo com comentários de áudio inseridos posteriormente e publicados no YouTube. No vídeo, Sokolóvski passeia por uma igreja de Iekaterinburgo caçando Pokémons.

De acordo com o próprio, ele decidiu filmar dentro do estabelecimento após assistir, em um canal de TV federal, à notícia de que jogar Pokémon Go em igrejas poderia render processos criminais por insulto aos sentimentos dos fieis.

O jovem se declara ateu e, em muitos dos vídeos de seu canal no YouTube, critica a Igreja e a imposição de uma formação religiosa na Rússia.

Por esse motivo, ele publica, desde o início do ano, uma revista on-line onde ridiculariza a Igreja

Pena

O videoblogger agora enfrenta um processo baseado em dois artigos: "pela instigação do ódio" e "pelo insulto aos sentimentos religiosos".  Pelo primeiro, pode pegar até 5 anos de detenção e, pelo segundo, até 3 anos ou multa de 500 mil rublos (R$ 25.200).

O tribunal de Kirov, em Iekaterinburgo, decretou a prisão de Sokolóvski por 2 meses. De acordo com o advogado de defesa, o juiz se recusou a soltar Sokolóvski sob fiança, apesar de ele ser responsável pelos cuidados da mãe, que é deficiente.

O chefe do departamento sinodal de Moscou, Vladímir Legoida, compara o estilo de Sokolóvski ao da revista francês Charlie Hebdo. "O jovem de Iekaterinburgo foi preso não por caçar Pokémon na igreja, mas pelo vídeo que fez (e pode ser que sejam mais de um), onde, de maneira muito particular, mostra todo esse processo e o comenta", escreve Legoida em sua página no Facebook.

Já o arcipreste Dmítri Smirnov sugeriu que o videoblogger tivesse sido detido de modo exemplar.  À rádio "Govorit Moskvá", ele ainda disse que Sokolóvski deveria "ser empalado".

"Vá caçar Pokémon no seu criado-mudo ou na sauna! A igreja é a casa da oração. Na igreja não se pode jogar futebol, tomar café, jogar papo fora ou caçar Pokémon. É um local especial somente para a reza e a realização dos sacramentos religiosos", disse Smirnov.

O prefeito de Iekaterinburgo, Evguêni Róizman, saiu em defesa do réu. "Isso é selvageria. O moço, claro, provocou. Mas não se pode prender uma pessoa por idiotice, falta de educação e vontade de aparecer!", escreveu em sua página no Facebook. Róizman clamou que os padres e especialmente o chefe da Igreja Ortodoxa Russa, Patriarca Kirill, intercedam pelo insensato videoblogger.

A opinião pública está dividida, como se pode perceber pelos comentários deixados nas páginas do Facebook de Róizman e de Legoida. Uma parte pede pela punição criminal, outra não vê crime nas  ações de Sokolóvski.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.