Dia a dia em um colégio militar feminino na Rússia

Colégio recebe anualmente 120 alunas novas

Colégio recebe anualmente 120 alunas novas

Serguêi Fadeitchev/TASS
Destinada a filhas de oficiais, escola combina educação, esporte e lazer.

Concebido originalmente para receber as filhas de militares, o internato do Ministério da Defesa aceita apenas jovens de família de Heróis de Rússia, militares com mais de 20 anos de serviço ou oficiais mortos em exercício. Todos os anos são 120 novas alunas, na faixa dos 11 anos, apesar das dezenas de candidatas por vaga.

Para entrar nesse colégio interno, porém, não são considerados apenas os méritos dos pais – é preciso gozar de saúde invejável e resultados acadêmicos excepcionais. Além disso, as concorrentes passam por uma série de testes psicológicos, e uma equipe de professores testa seus conhecimento de gramática, matemática e idiomas.

“O colégio tem seu próprio sistema seletivo. Tivemos que amadurecer rápido, o que nos tornou fortes e perseverantes”, diz a ex-aluna Vika Melnikova. “É como uma imitação da vida real. Às vezes é difícil, as lágrimas vem, mas depois tudo faz sentido”, continua.

As 840 estudantes atualmente matriculadas no internato vivem em Moscou com apoio financeiro do Estado e só podem ir para casa durante o período de férias.

Embora desenvolvido pelo Ministério da Defesa, e não pelo da Educação, as matérias que compõem o currículo escolar não são de cunho estritamente militar.

“Podíamos praticar qualquer esporte: natação, equitação, patinação artística, luta, e até esgrima”, conta Sasha Bened, também ex-aluna. “Podíamos ir a estúdios de artistas e tocar com eles. Aprendemos a tocar instrumentos. No internato há um grupo de bateristas que participa de vários concursos.”

Após terminar os estudos no colégio interno, algumas alunas seguem a tradição da família, optando pela vida militar, mas não é de praxe. Devido à qualidade de ensino no colégio, a maioria das ex-alunas não tem dificuldade de entrar em uma faculdade.

Atividades terminam apenas no final da tarde Foto: Mikhail Japaridze / TASSAtividades terminam apenas no final da tarde Foto: Mikhail Japaridze / TASS

Rigor e prestígio

O calendário, tanto durante a semana como nos fins de semana, tem programação variada e intensa de modo que as garotas só retornam ao quarto no final da tarde. Sábados e domingos são, contudo, dedicados a teatros, museus e concertos.

“Nosso dia sempre começava com exercício e um bom e saudável café-da-manhã. Depois, aula, e, em seguida, atividades extracurriculares. Tínhamos tempo livre depois da janta nos dias de semana, e nos fins de semana. Às 23:00, as luzes eram apagadas”, relembra Sasha.

Além da qualidade de ensino e das opções de entretenimento, as instalações desse colégio são consideravelmente melhores do que as de muitas escolas. Ao entrarem no colégio, todas as alunas recebem um laptop para uso até o final dos estudos.

“Tínhamos de tudo; desde roupas para esquiar a vestidos de festa”, diz Sasha.

O condicionado físico também não é explorado da forma tradicional e inclui exercícios de agilidade, velocidade, resistência, flexibilidade e força seguindo os princípios do treinamento de cosmonautas. moldes do Treinamento de Astronautas.

Outro aspecto importante no colégio interno, a dieta é guiada por uma nutricionista – embora seja verdade que os professores muitas vezes dão doces às meninas para incentivá-las em sua jornada longe de casa.

“Acho que a relação entre alunos e professores é totalmente diferente do que vejo em escolas normais. Lá não são apenas professores, mas uma pequena janela para a vida. Algumas meninas que perderam suas mães e avós encontravam substitutos em seus professores”, diz Vika.

E Sasha concorda. “Sou muito grata pelo apoio nos momentos de dificuldade. Para nós tornou-se uma segunda família”, conclui.

Dieta saudável e exercício são principíos de internato Foto: Mikhail Japaridze / TASSDieta saudável e exercício são principíos de internato Foto: Mikhail Japaridze / TASS

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?      
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.