Aviões russos ajudam a combater focos de incêndio em Portugal

Modelos Be-200 continuarão a ser usados na Ilha da Madeira, onde situação é crítica

Modelos Be-200 continuarão a ser usados na Ilha da Madeira, onde situação é crítica

Aleksêi Pavlichak/TASS
Anfíbios Be-200 já teriam salvo mais de 40 de hectares de floresta. Além da Rússia, premiê português agradeceu apoio de Itália e Marrocos, que também estão colaborando para conter os mais de 150 focos de incêndio no país.

O Ministério para Situações de Emergência da Rússia enviou no domingo (14) duas aeronaves anfíbios Be-200 para combater grandes incêndios florestais em Portugal.

“Em conformidade com o pedido do lado português, enviamos dois aviões anfíbios Be-200 para Portugal”, declarou um representante do ministério. “Os pilotos dos Be-200 são treinados para trabalhar em condições difíceis e possuem grande experiência no combate a incêndios”, completou.

Segundo a pasta, os Be-200 utilizaram 154 toneladas de água em 11 horas de voo, salvando mais de 40 de hectares de floresta.

“Graças ao trabalho da equipe russa, o fogo não se alastrou pelo Parque Nacional Peneda-Gerês [no nordeste de Portugal]”, informou o ministério.

Fonte: YouTube/Felipe Villa Dominguez

Os Be-200, que são uns dos aviões mais eficientes do mundo em situações de incêndio, são capazes de pousar tanto em terra como na água, para reabastecer os tanques, e podem carregar até 12 toneladas de água.

Essas aeronaves também estão sendo usadas para combater incêndios na Ilha da Madeira, onde a situação é ainda mais grave. “Nossos aviões continuarão o trabalho em Portugal”, acrescentou o representante russo.

Em reunião com as equipes de resgate da Rússia, da Itália e de Marrocos, o primeiro-ministro português, António Costa, expressou gratidão pela ajuda estrangeira.

Segundo o site fogos.pt, que monitora a evolução dos incêndios em tempo real, há cerca de 154 focos no país.

Com materiais das agências de notícias Ria Nôvosti e TASS

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?     
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.