Após polêmica, Russia Today continuará na TV aberta da Argentina

Russia Today em espanhol cobre praticamente toda a Argentina desde outubro de 2014

Russia Today em espanhol cobre praticamente toda a Argentina desde outubro de 2014

Evguêni Biatov/RIA Nôvosti
Autoridades alegam motivação política em decisão anterior de suspender o canal russo. Embora confirmada apenas até outubro, transmissão deve ser renovada. Iniciativa gerou protesto de organizações de imigrantes e petição na internet.

O canal de televisão russo RT (Russia Today) continuará sendo transmitido na televisão aberta da Argentina até, pelo menos, 27 de outubro, quando se encerra o acordo assinado em 2014. A decisão revoga a resolução anterior de retirar o canal RT da Televisão Digital Aberta (TDA), anunciada em junho passado por meio de uma carta oficial enviada ao escritório do Russia Today em Buenos Aires.

A prorrogação foi decidida durante negociações, em meados de julho, entre o chefe do Sistema Federal de Meios e Conteúdo Público da Argentina (SFMCP), Hernán Lombardi, e a diretora de transmissão em espanhol do RT, Victoria Vorontsova.

As conversas “foram muito propícias para a melhoria do intercâmbio televisivo e cultural’, lê-se em um comunicado de imprensa do SFMCP, “e o cronograma de tarefas será estendido pelos próximos meses para dar mais vigor e conteúdo às relações bilaterais, tendo em vista a renovação e o aprofundamento do vínculo em um novo acordo a ser assinado em 27 de outubro, dia do término do contrato anterior”.

A conotação política na iniciativa de suspender o direito de transmissão do RT na Argentina foi levantada por diversas autoridades russas. O chefe da Comissão para Relações Exteriores da Duma de Estado (câmara baixa do Parlamento), Aleksêi Puchkov, relacionou a decisão à política do presidente argentino Mauricio Macri.

“Tão logo se tornou líder da Argentina um protegido dos EUA, decidiu retirar Russia Today de veiculação nacional”, escreveu Puchkov, em seu Twitter.

No entanto, o encarregado de negócios da Rússia na Argentina, Dmítri Belov, afirmou à Gazeta Russa que, “segundo explicado pelo SFMCP, a decisão de anular a transmissão do RT não tinha caráter político nem ideológico, mas absolutamente técnico. Tratava-se de ocupar uma frequência para os canais regionais argentinos, mas, após as negociações, as dúvidas do lado da Argentina foram solucionadas”.

Acreditava-se que o canal russo que RT teria o mesmo destino do latino-americano Telesur, com sede na Venezuela, que no último dia 4 de março foi removido do pacote básico da Cablevision e em 29 de junho foi excluído da TDA. O Estado argentino participava, inclusive com financiamento, da Telesur juntamente com os governos da Venezuela, Cuba, Bolívia, Nicarágua, Uruguai.

No início deste ano, os dirigentes da agência de notícias oficial argentina Telam também encerraram um acordo de cooperação com a cubana Prensa Latina. No caso do canal RT, porém, trata-se de um contrato de incorporação à programação na TDA sem custos para o governo local.

Diáspora russa reage

Após a decisão anterior de suspender o canal RT, o Conselho Coordenador das Organizações de Compatriotas Russos Residentes na Argentina, publicou uma carta aberta destinada a Macri e ministros argentinos pedindo que a ação fosse revisada.

“Estamos longe da Rússia e não tínhamos nenhum canal como outras diásporas, como Deutsche Welle, TVE ou RAI, transmitidos via cabo na Argentina, que são os países que tiveram imigração para cá”, diz a presidente do conselho, Silvana Jarmoluk.

A agitação também tomou conta das redes sociais, onde foi compartilhada uma petição para reverter a decisão de cancelar o canal russo. Um dos signatários, o produtor-geral do portal Equilibrium Global, Diego Velázquez, disse à Gazeta Russa que a suspensão “não era uma decisão muito sábia” e elogiou a revogação da medida.

Segundo Velázquez, “seria negativo limitar a capacidade das pessoas de acessar informações sobre o que acontece no mundo, seria negativo unificar abordagens e que se imponha uma única visão da realidade. Aqui, nos canais de TV [argentinos], predomina o prisma ocidental; o RT permite conhecer outro ponto de vista”.

Segundo os especialistas consultados pela Gazeta Russa, existem dois modos de assistir ao RT na Argentina: televisão aberta (80% da audiência no país) ou internet. 

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?      
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.