Todos os meios de transporte do presidente

Pútin deixa helicóptero ao chegar à residência presidencial na região de Samara

Pútin deixa helicóptero ao chegar à residência presidencial na região de Samara

Mikhail Klimentiev/TASS
De helicópteros e blindados a catamarã, uma volta a bordo dos veículos de Pútin.

O jardim Tainítski, no Kremlin, foi equipado com um heliporto em outubro de 2012, para uso do presidente Vladímir Pútin, que voa exclusivamente a bordo do helicóptero russo Mi-8.

O veículo, porém, já aterrissava no Kremlin desde o primeiro presidente da Federação Russa, Boris Iéltsin. O heliporto de então ficava na Praça Ivanovo, mas, como as vibrações do helicóptero podiam danificar os edifícios históricos, ele teve de ser afastado.

Onze Mercedes

Em solo, o presidente russo circula a bordo de um Mercedes-Benz S600 Pullman. Há 11 veículos listados sob registro do Serviço Federal de Segurança (FSB, na sigla em russo).

Todos os veículos que Pútin utiliza são operados pela unidade estrutural do FSB: uma Garagem de propósito especial (GON, na sigla em russo). A história dessa unidade remonta a 1921, quando o Conselho dos Comissários do Povo recebeu uma ordem para alocar várias máquinas a serviço da família de Lênin.

Foto: RIA NóvostiFoto: RIA Nôvosti

Os atributos obrigatórios de todos os veículos do estacionamento presidencial incluem blindagem e sistema de emergência que permita ao carro se mover por, pelo menos, 30 quilômetros a uma velocidade de 80 km/h (mesmo se os quatro pneus estiverem danificados), além de um sistema de controle da qualidade do ar e outras funções menores.

Motorista calibrado

Qualquer candidato a motorista presidencial é submetido a uma rigorosa seleção e formação psicofisiológica para dirigir em condições extremas. Também deve antes ter trabalhado por um longo período como motorista na divisão operacional do Serviço Federal de Proteção (FSO, na sigla em russo), bem como experiência na condução de veículo de escolta. Só depois que poderá competir para o cargo de motorista para o presidente ou o primeiro-ministro. Todo esse processo leva entre sete e quinze anos.

O presidente tem mais de dez motoristas. Profissionais de alta classe, mas, ainda assim, realizam treinamento semanal. O sistema de treinamento obrigatório inclui disparo durante a condução, direção em um simulador de solo coberto de gelo, barreira de água e explosão.

De parar o trânsito

Certo dia, o jornalista do canal NTV Vadim Takmenev, que estava andando no carro com Pútin, perguntou-lhe se sabia sobre os engarrafamentos criados pela comitiva presidencial.

“Eu peço desculpas. Lamento. Mas o que eu posso fazer, eu preciso trabalhar. De que outra forma eu posso me movimentar”, disse Pútin. Takmenev sugeriu, então, que ele seguisse o exemplo de François Hollande, cuja comitiva parou no semáforo a caminho da tomada de posse do presidente francês. “Ele é um bom homem. Mas eu não faço populismo”, respondeu o líder russo.

Justiça seja feita, a escolta do presidente dos EUA, Barack Obama, também costuma gerar diversos obstáculos aos motoristas. Já na Índia, onde o tráfego é habitualmente caótico, as ruas literalmente param quando circula a comitiva do presidente ou do primeiro-ministro.

A mais secreta divisão de aeronaves

Foto: TASSFoto: TASS

Como parte da Administração de Assuntos Presidenciais, órgão criado no início dos anos 1990 para atender às necessidades dos oficiais de alto escalão, há também um grupo especial de voo “Rússia”. Além do presidente e do premiê, essa frota está à disposição do ministro dos Negócios Estrangeiros, do presidente da Duma (câmara dos deputados na Rússia), entre outras autoridades, e do Patriarca da Igreja Ortodoxa Russa. Jornalistas do Kremlin e do círculo do primeiro-ministro, membros de delegações oficiais, e assessores de imprensa e protocolo também costumam viajar a bordo desses jatos “Rússia”.

A frota em si é composta por aviões Il-96-300 e Tu-214. Alguns modelos Superjet 100, da Sukhôi, irão em breve reforçar o grupo. A unidade também conta com um posto de controle de voo: as aeronaves estão equipadas com sistemas de comunicações especiais, permitindo que o presidente negocie e gerencie as forças nucleares da Rússia de modo criptografado.

Foto: RIA NóvostiFoto: RIA Nôvosti

Desde 1996, o principal avião presidencial é uma versão modificada do modelos de passageiros Il-96. Durante o voo, o chefe de Estado pode entrar em contato com qualquer agência ou instituição. Também pode realizar chamadas internacionais ou teleconferências.

Para viagens marítimas, a Administração Assuntos Presidenciais dispõe de três navios, sete barcos e um catamarã. Este meio incomum de transporte, quando usado pelo presidente, é fornecido por outras organizações. O batiscafo, por exemplo, em que Pútin inspecionou o navio bizantino afundado no fundo do mar Negro pertence à Sociedade Geográfica Russa.

Foto: Alexey Nikolsky/RIA NovostiFoto: Aleksêi Nikolski/RIA Nôvosti

Publicado originalmente pelo jornal Lenta.ru

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?      
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.