“Pokémon não deve ser razão para visitar o Kremlin”, diz porta-voz de Pútin

Procura por Pokémon GO no Google já supera “Brexit” e “novo Star Wars”

Procura por Pokémon GO no Google já supera “Brexit” e “novo Star Wars”

Reuters
Dmítri Peskov declarou posição oficial do governo sobre novo jogo da Nintendo.

“Os Pokémons não devem ser um motivo para visitar o Kremlin, verdadeiro tesouro da cultura mundial”, disse Dmítri Peskov, porta-voz do presidente da Rússia, Vladímir Pútin, sobre o jogo Pokémon GO, novo produto da Nintendo que já bateu recordes de popularidade em diversos países.

Peskov fez a declaração a jornalistas que lhe perguntaram qual era a postura do Kremlin em relação ao fato de que usuários do jogo iriam começar a procurar Pokémons em seu território. Peskov acrescentou que “apesar de ser a residência do chefe de Estado russo, o Kremlin está aberto de uma forma sem precedentes" à população e que, “salvo engano”, o jogo ainda não está disponível na Rússia.

Por enquanto, o Pokémon GO está oficialmente disponível apenas nos Estados Unidos, na Austrália e na Nova Zelândia, mas o número de seus usuários já é quase igual ao número de perfis do Twitter e seu nome já ultrapassou as buscas por “Brexit”, “novo Star Wars” e “atentados terroristas em Paris” no Google.

O jogo, destinado a plataformas móveis, combina realidade aumentada com a popular franquia japonesa da década de 1990. Ele sobrepõe ao mapa real da área Pokémons e suas plataformas de treinamento, fazendo com que os jogadores os persigam no local de trabalho, na rua ou no supermercado.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?    
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.