Seguir carreira escolhida é sinônimo de liberdade para 50% dos russos

Com intervalo de 12 anos, pesquisas não revelaram diferenças significativas

Com intervalo de 12 anos, pesquisas não revelaram diferenças significativas

Taras Litvinenko/RIA Nôvosti
Estudo questionou o que cidadãos pensam ao ouvir palavra ‘liberdade’ e comparou dados coletados com pesquisa semelhante realizada há doze anos.

A empresa de pesquisa Romir publicou esta semana os resultados de um levantamento no qual perguntou aos russos o que eles pensam ao ouvir a palavra “liberdade”, sendo mais de uma resposta possível. A empresa comparou então as respostas com os resultados de uma pesquisa similar realizada há 12 anos, segundo informou o jornal on-line Gazeta.ru.

Enquanto, em 2016, 50% dos entrevistados responderam que a liberdade significava a possibilidade de fazer a atividade que mais se ama, a mesma resposta foi dada por 53% das pessoas em 2004.

Entre os respondentes, 30% também afirmaram que a liberdade era a possibilidade de expressar abertamente sua opinião – resposta que foi dada por 38% dos entrevistados doze anos atrás.

Além disso, 22% disseram que liberdade era a oportunidade de obter qualquer informação desejada (1% a mais do que o registrado em 2004), e outros 20% acreditam ainda que seja a possibilidade de ficar rico, contra 17% que expressaram tal opinião no estudo passado.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?    
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.