Tártaros da Crimeia pedem à Turquia para reconsiderar status da península

Cerimônia em referência ao aniversário da deportação de tártaros para a Ásia Central

Cerimônia em referência ao aniversário da deportação de tártaros para a Ásia Central

Reuters
Segundo líder de movimento étnico, Ancara deve reconhecer reintegração à Rússia. Pedido veio após primeiros sinais de retomada das relações Moscou-Ancara.

Os tártaros crimeanos pediram à Turquia para reconsiderar a sua posição sobre a Crimeia e reconhecer a península como pertencente à Rússia, declarou Remzi Iliasov, chefe do movimento Qirim, a maior associação voltada à etnia.

“Apelamos ao governo turco que aborde as questões relacionadas com a Crimeia e ao regime de Kiev de um modo geral de forma bastante equilibrada”, disse Iliasov em entrevista a agência de notícias RIA Nôvosti.

“A escolha dos crimeanos deve ser respeitada. A Turquia deverá reconsiderar a sua posição sobre a Crimeia e reconhecer o atual status da península.”

Segundo o chefe do Qirim, o reconhecimento da Crimeia como parte da Rússia deverá ajudar a reforçar a segurança na região do mar Negro.

Além disso, de acordo com o jornal “Vzgliad”, os tártaros da Crimeia pediram ao governo turco para não ser influenciado pelas especulações do governo de Kiev e ex-políticos da Crimeia que “tentam distorcer a situação na península”.

Iliasov sugeriu ainda que a etnia estaria disposta a se tornar “a ponte da amizade” entre a Rússia e a Turquia. “Nós, tártaros da Crimeia, esperamos que a amizade e boa vontade entre a Rússia e a Turquia só fiquem ainda mais fortes”, disse.

No último dia 27 de junho, o presidente russo, Vladímir Pútin, e seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, tiveram uma conversa telefônica na qual se comprometeram a tomar medidas para normalizar as relações entre os dois países.

O contato entre os líderes dos países se deu após Erdogan enviar uma mensagem para Pútin se desculpando pela abate do bombardeiro Su-24 russo, em novembro passado, e pela consequente morte do piloto russo Oleg Pechkov.

O movimento Qirim foi fundada no final de 2014 para cooperar com as autoridades russas e lidar com os problemas enfrentados pelos tártaros da Crimeia.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?   
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.