Estatal de Moscou mantém 1º lugar em ranking de universidades euroasiáticas

Estatal de Moscou garantiu novamente primeira colocação no ranking anual

Estatal de Moscou garantiu novamente primeira colocação no ranking anual

Lori/Legion Media
Além da moscovita, outras duas universidades russas figuram no topo do ranking britânico Quacquarelli Symonds. USP também repetiu liderança entre latino-americanas.

As universidades estatais de Moscou, de Novosibirsk, e de São Petersburgo ocupam, respectivamente, os três primeiros lugares na categoria Europa Emergente e Ásia Central, segundo ranking anual da empresa educacional britânica Quacquarelli Symonds.

A Universidade Estatal de Moscou ficou na primeira posição pelo segundo ano consecutivo, e foi seguida pela maior instituição de ensino superior na Sibéria, a Estatal de Novosibirsk. Já a Universidade de São Petersburgo, que no ano passado figurou no quinto lugar, saltou para a terceira posição este ano.

Além de ocupar o topo do ranking, a Rússia exibe outras 61 universidades na categoria Europa Emergente e Ásia Central, que nesta terceira edição avaliou as 200 melhores universidades em 21 países. A Turquia é o país da região com o segundo maior número de universidades na lista (20).

Entre outros destaques russos estão o Instituto de Física e Tecnologia de Moscou, embora tenha caído do 10º para o 17º lugar, e a Universidade Estatal de Tomsk, que subiu da 27ª para a 20ª posição.

Também aparecem no top 10 da categoria Europa Emergente e Ásia Central algumas das universidades mais antigas da região, como a Charles (República Tcheca), a de Tartu (Estônia), a de Varsóvia (Polônia), a Jagiellonian (Polônia) e a Boğaziçi (Turquia).

Cada universidade é julgada conforme nove critérios, entre eles reputação acadêmica, reputação do empregador, proporção corpo docente/aluno, quantidade de estudantes e professores estrangeiros, bem como número de publicações acadêmicas e impacto na internet.

As universidades estatais de Moscou e São Petersburgo já haviam sido incluídas, em maio passado, no top 100 das melhores universidades do mundo segundo sua reputação, em um ranking elaborado anualmente pela Times Higher Education (THE), a principal publicação dedicada ao ensino superior no Reino Unido.

USP no topo latino-americano

Assim como no ano passado, a Universidade de São Paulo (USP) ficou novamente em primeiro lugar na categoria América Latina do ranking da Quacquarelli Symonds.

Além da paulista, outras três instituições brasileiras figuram no top 10: Universidade Estadual de Campinas (2º), Universidade Federal do Rio de Janeiro (5º) e Universidade de Brasília (9º).

Pontificia Universidad Catolica de Chile (3º), Universidad Nacional Autónoma de México (4º), Universidad de Chile (6º), Instituto Tecnológico e de Estudos Superiores de Monterrey (7º), Universidad de Los Andes (8º)  e Universidad Nacional de Colombia (10º) completam o topo da lista.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.