Agência federal confirma terceiro caso de zika na Rússia

Imagem em 3D do vírus da zika

Imagem em 3D do vírus da zika

Ciência visual
Assim como nos outros casos registrados, indivíduo com diagnóstico confirmado regressou da República Dominicana. Proximidade do verão aumenta risco de infecções na Europa, sobretudo em áreas de Portugal, Geórgia e Rússia.

A Rospotrebnadzor, agência russa que fiscaliza os direitos do consumidor, confirmou o terceiro caso de infecção pelo vírus da zika no país.

“Hoje recebemos o diagnóstico da terceira pessoa infectada em Moscou. Ele também voltou recentemente da República Dominicana”, declarou a diretora da Rospotrebnadzor, Anna Popova.

Segundo ela, há outros dois indivíduos na Rússia com suspeita de zika, mas o diagnóstico ainda não foi confirmado.

O vírus, cujo combate foi reforçado após diversos casos de microcefalia em recém-nascidos no Brasil, poderá se espalhar pela Europa com a proximidade do verão no continente, alertam as autoridades de saúde internacionais.

“Há risco de propagação do vírus da zika na região europeia (...), mas o risco varia de país para país”, declarou Zsuzsanna Jakab, diretora regional da OMS (Organização Mundial da Saúde) para a Europa.

Acredita-se que o risco seja maior em áreas onde há prevalência do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão do vírus. Entre os focos estariam a Ilha da Madeira, em Portugal, e a costa do mar Negro, que banha Geórgia e Rússia.

Ainda segundo a OMS, o vírus da zika já teria penetrado 21 de 55 países em todo o hemisfério ocidental.

Com material da agência de notícias Tass

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.