Expatriados na Rússia

Carlos

Carlos

archive personnelle
Pesquisa mostra que país é o melhor para se desenvolver novas habilidades.

A pesquisa "Balancing Life Abroad" ("Fazendo um balanço da vida no exterior"), realizada pela holding financeira britânica HSBC, mostrou que 62% dos expatriados na Rússia acreditam que o país seja o melhor para se desenvolver novas habilidades. O segundo lugar da categoria ficou com a China, com 55%.

No entanto, as agências de recrutamento russas que buscam trabalhadores estrangeiros não costumam falar sobre as particularidades do trabalho na Rússia e o que é preciso aprender.

"Na maioria dos casos, presume-se que os expatriados vêm à Rússia não para aprender, mas para ensinar. Eles devem trazer os métodos de trabalho mais atuais", diz Natália Scherbakova da agência de recrutamento Ancor.

Segundo ela, porém, todos os estrangeiros precisam aprender muito e se adaptar às práticas russas.

Brasileiro adaptado

"A Rússia é um lugar maravilhoso para aperfeiçoar suas habilidades nos negócios. Se você tiver força e vontade o suficiente para abrir um negócio ali, muitas vezes tendo que superar a burocracia e a corrupção, você consegue sobreviver em outros países", diz o brasileiro Carlos Tamaoki, que trabalha como especialista de TI numa empresa de desenvolvimento.

Ele deixou São Paulo pela Rússia há 13 anos. Carlos diz que, durante esse tempo, o mais difícil foi se acostumar com a burocracia e a busca de alguém para culpar, segundo ele, características próprias do mercado de trabalho russo.

"Em vez de resolver o problema, os russos gastam todas suas forças para encontrar o culpado. Essa atitude é profundamente enraizada na mentalidade dos russos", diz Carlos. Assim, ele teve que se tornar mais duro na comunicação com colegas.

Quanto à vida fora do trabalho, Carlos diz ter conseguido se adaptar rapidamente. Segundo ele, a principal diferença cultural é a animosidade dos russos.

"Mas quando você perceber que a grosseria na loja ou no transporte não é pessoal, só rotina, vai ficar mais fácil de se comunicar. Se você começar a estabelecer contatos próximos com os russos, vai perceber eles são muito sinceros", diz Carlos.

Alex de Valukhoff, Foto: archive personnelleO francês Alex de Valukhoff diz que, em outro país, não teria alcançado cargo tão alto tão jovem. Foto: Arquivo pessoal.

“Mas, até agora, não consigo me acostumar com o fato de, no trabalho, ninguém sorrir ou flertar”, completa.

Diretores mais jovens

"A Rússia foi um trampolim profissional para mim, apenas aqui consegui me tornar diretor financeiro aos 26 anos", diz o francês Alex de Valukhoff, diretor do departamento russo da empresa energética Aggreko. 

“Existem diferenças na psicologia de como as pessoas resolvem problemas no trabalho. Os russos sempre reagem instantaneamente às mudanças, pensam de forma flexível”, diz. 

Segundo ele, a cultura russa se desenvolve sobre as emoções. "Se você desejar obter resultados de alta qualidade será preciso estar muito atento às pessoas", diz.

Já Ramnik Kohli, diretor da representação da empresa indiana Micromax na Rússia, chegou ao páis nos anos 1990 para estudar marketing e língua russa.

“O trabalho na Rússia é muito diferente da Índia. Os russos planejam tudo com muita mais antecedência que os indianos. Estou, inclusive, tentando explicar as vantagens dos costumes russos aos meus colegas indianos”, diz Ramnik.

Ramnik Kohli, Foto: archive personnelleO indiano Ramnik Kohli tenta explicar a seus compatriotas as vantagens do planejamento prévio que observa em seu trabalho na Rússia, Foto: Arquivo pessoal

"A Rússia é um país de contrastes, os consumidores aqui são extremamente diferentes. Tive que examinar cuidadosamente todos os fatores existentes e adaptar as estratégias de negócios para as flutuações de mercado russo", diz.

Segundo ele, os principais dificuldades na Rússia são a burocracia excessiva e a necessidade de controlar toda a cadeia de fornecimento.

"Mas essas dificuldades permitem que nos desenvolvamos profissionalmente. É fácil começar a negociar e trabalhar na equipe russa, mas aprender como fazer preparar blini [panquecas russas] é uma tarefa bem difícil!", brinca o indiano.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.