5 motivos para estudar na Sibéria

Não, o frio não é um dos motivos positivos pelos quais você deve optar pela Universidade Federal da Sibéria!

Não, o frio não é um dos motivos positivos pelos quais você deve optar pela Universidade Federal da Sibéria!

Divulgação
Enquanto alguns celebram e outros amaldiçoam a frente fria que chega, a Gazeta Russa faz um convite à uma das regiões habitáveis mais frias do mundo!

Enquanto alguns reclamam do frio repentino que caiu sobre o Brasil nesta semana e outros o celebram, a Gazeta Russa faz quase uma ode às baixas temperaturas: compilamos uma lista dos cinco melhores motivos para ir estudar na Sibéria! E, não, o frio não é um deles!

Fundada há 10 anos, a Universidade Federal da Sibéria (SFU, na sigla em russo) é um dos maiores centros de ensino superior e pesquisa da Sibéria e está entre as universidades que se desenvolvem com maior dinamismo. Veja por que ir estudar lá:

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

1. Poucos estrangeiros

Não, você não vai se tornar anticosmopolita depois desta! Entenda: a SFU tem 35 mil alunos e mais de 3 mil professores, mas, entre eles, há apenas 400 estudantes estrangeiros - vindos de 35 países.

Isso faz da universidade o lugar ideal para se tirar o máximo proveito do ensino e aprender melhor o idioma russo - você se sentirá mais obrigado a isso do que se estivesse cursando uma universidade em Moscou ou São Petersburgo, acredite!

2. Dois diplomas

A SFU tem programas de duplo diploma com muitas universidades da Europa, Ásia e América. Todos os anos, a Universidade recebe quase 200 professores visitantes, entre eles pesquisadores da Inglaterra, Alemanha, Espanha, Estados Unidos etc.

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

3. Infraestrutura de ponta para pesquisa

A SFU reúne dezenas de laboratórios, centros de inovação e de pesquisa, escritórios de design e centros de produção experimental. Seu supercomputador está no top 50 dos mais potentes da Rússia.

A instituição conta ainda com estações de recebimento de informações espaciais e de tomografia sísmica, um observatório próprio e uma estação meteorológica, bem como câmera planetária e lunar e muitos outros equipamentos científicos especializados.

Alguns dos destaques ali são o Laboratório de Biotecnologia de Sistemas Bioluminescentes, o Laboratório de Biotecnologia e de Novos Biomateriais e o Laboratório de Biogeoquímica de Ecossistemas.

4. Singularidade geográfica

Krasnoiarsk está localizada bem no centro da Sibéria. Foram descobertas na região mais de 10 mil depósitos minerais e, graças a isso, as filiais de grandes indústrias estão concentradas ali.

Mais de 70% da região é coberta por florestas. Sua localização geográfica direcionou tanto as parcerias variadas da Universidade, como seu posicionamento voltado à gestão ambiental de áreas exclusivas, ricas em recursos renováveis.

Previsão de mudanças climáticas e de seus impactos; redução da concentração de dióxido de carbono na atmosfera; melhoria e aumento da expectativa de vida humana; aumento da produtividade e utilização de recursos; superação das limitações do desempenho de eletrônicos são alguns dos campos de destaque da instituição.

5. Campeã esportiva

O campus da SFU tem edifícios acadêmicos, quase 30 edifícios de alojamento estudantil, bibliotecas, sala de congressos e um centro de esportes.

A atlética da universidade é campeã em diversas modalidades em competições russas e internacionais. Assim, em 2019, a instituição abrigará a Universíada Internacional de Inverno de 2019.

Conteúdo fornecido por parceiro

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.