Pútin presta condolências a belgas pelos ataques em Bruxelas

Atentados ocorreram poucos dias após detenção de principal suspeito nos ataques em Paris

Atentados ocorreram poucos dias após detenção de principal suspeito nos ataques em Paris

EPA
Atentados que deixaram mais de 30 mortos na capital belga colocam cidades europeias em alerta. Autoridades russas qualificaram ocorrência como ‘ataque à Europa’ e destacaram necessidade de coordenar esforços para combater o terrorismo.

O presidente russo Vladímir Pútin expressou condolências ao rei Philippe, da Bélgica, e a todos os cidadãos belgas pelos ataques terroristas na manhã desta terça-feira (22) em Bruxelas. Segundo o porta-voz do presidente, Dmítri Peskov, Pútin “condenou veementemente esses crimes bárbaros”.

Ao menos 30 pessoas morreram e 200 ficaram feridas, após explosões no aeroporto Zaventem, um dos maiores da Europa, e em duas estações de metrô localizadas no centro de Bruxelas, segundo informações do Corpo de Bombeiros.

Testemunhas ouvidas no local relataram que ao menos uma das explosões no aeroporto, que ocorreram no salão de embarque, teria sido causada por um homem-bomba.

O aeroporto de Bruxelas foi fechado às pressas e todos os voos, cancelados. Além disso, o nível de alerta contra terrorismo no país foi elevado para o nível máximo, segundo o ministro do Interior da Bélgica, Jan Jambon.

“Este crime bárbaro, que não pode ser justificado, confirma mais uma vez que o terrorismo não tem fronteiras e representa uma ameaça para as pessoas em todo o mundo”, declarou o porta-voz do Kremlin.

Ainda segundo Peskov, o presidente russo expressou confiança de que os assassinos e seus cúmplices irão receber o castigo que merecem, ofereceu suas condolências aos familiares e amigos das vítimas e desejou uma rápida recuperação aos feridos.

Um grande número de moscovitas também deixou flores em frente à Embaixada da Bélgica em Moscou, em solidariedade ao povo belga.

Tensão na Europa

Após os atentados, todos os serviços de transporte, incluindo metrô, bondes e ônibus, foram interrompidos em Bruxelas, segundo a STIB, operadora de transporte público da cidade. 

A sede da Otan e das instituições da UE na capital belga reforçaram as medidas de segurança, e o Conselho da UE cancelou todos os eventos agendados para esta terça.

O esquema de segurança foi também reforçado nas maiores cidades e aeroportos da Europa, incluindo Moscou, Londres, Paris, São Petersburgo, Amsterdã e Berlim.

União contra o terror

Os ataques terroristas em Bruxelas e Paris estão inter-relacionados e podem ser chamados de “ataque maciço” à Europa, disse Franz Klintsevich, primeiro vice-presidente da Comissão de Defesa e Segurança, em reunião no Conselho da Federação (Senado russo), nesta terça-feira.

“Temos de admitir sinceramente que o mundo provou estar despreparado para combater a ameaça do terrorismo de forma eficaz. É necessário, ao menos, esforços para estabelecer um novo nível de coordenação”, disse o parlamentar russo, acrescentando que a Rússia estaria preparada para contribuir com a UE.

A mesma opinião foi expressa pelo presidente do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação, Konstantin Kosatchev, e pelo primeiro-ministro russo, Dmítri Medvedev.

“O incidente destaca mais uma vez a necessidade de esforços coordenados da comunidade internacional na luta contra as ameaças terroristas”, disse o premiê.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.