Moscou ganhará versão própria da Disneyland

Áreas do parque terão diferentes climas para reproduzir cenários

Áreas do parque terão diferentes climas para reproduzir cenários

Assessoria de imprensa
Com inauguração prevista para 2018, a Ilha do Sonho será o maior parque de diversões coberto do mundo. Diante de crise, urbanista avalia custo do projeto.

Mais de uma geração de moscovitas sonharam com a ideia de uma Disneyland russa. Embora o ex-prefeito da capital, Iúri Lujkov, tivesse prometido construir um parque temático ao molde do norte-americano, os investidores deram para trás. Atual prefeito de Moscou, Serguêi Sobiânin teve mais sorte.

O grupo empresarial “Regiões” está investindo US$ 1,5 bilhões no projeto, que, segundo fontes oficiais, será inaugurado no sul da cidade em 2018. As obras serão iniciadas ainda este mês.

Todos os climas

O clima é o principal obstáculo para a construção da Disneyland russa, já que um parque aberto poderia funcionar apenas por quatros meses ao ano em Moscou.

As autoridades optaram, portanto, por um parque coberto – a uma altura semelhante a de um edifício de 10 andares – que possa receber visitantes durante todo o ano.

Estima-se que o espaço receberá anualmente de quatro a seis milhões de pessoas, com grande fluxo de turistas domésticos, mas também “estrangeiros que passam três ou quatro dias na cidade”, sugerem os idealizadores.

Em termos estéticos, o projeto da Ilha dos Sonhos se assemelha ao do Castelo da Cinderela, na Disneyland. Os criadores do projeto garantem, no entanto, se tratar de um projeto original.

“Todos os castelos têm algo em comum, de modo que as comparações são inevitáveis”, diz o membro do conselho administrativo do Regiões, Amram Mutsóiev.

A estrutura arquitetônica foi desenvolvida pela empresa britânica Chapman Taylor, e o paisagismo ficou a cargo dos italianos da Land Milano.

Heróis nacionais

“A diferença é que a Disneyland foi projetada para crianças, e a Ilha é feita para pessoas de todas as idades. Aqui vamos enfatizar os personagens de contos e desenhos animados russos, como Tcheburachka e o crocodilo Guena”, diz Mutsóiev.

Mais de 60% do espaço terá como tema personagens russos, e o restante será inspirado em desenhos animados estrangeiros. A empresa já assinou um contrato de licença para o uso de imagens de três estúdios, incluindo DreamWorks Animation.

Fonte: Acessoria de imprensa
Projeto é 60% baseado em personagens nacionais Fonte: Assessoria de imprensa

Nas áreas temáticas serão reproduzidas não só as imagens dos personagens, mas também as decorações dos desenhos animados mais famosos. Enquanto na área de dinossauros o clima será tropical, no reino da Rainha do Gelo haverá até neve.

Além de diversas montanhas-russas, o parque terá ainda uma sala de concertos, um hotel três estrelas, lojas e restaurantes.

Preço da diversão

Ao contrário do parque Górki, no centro da capital, a Ilha dos Sonhos ficará situada em um bairro residencial mais distante, “o que significa que os visitantes só chegarão lá de carro ou transporte público”, diz o diretor do centro de geografia urbana da Escola Superior de Economia, Igor Krotov.

O problema já foi parcialmente resolvido com a abertura da nova estação de metrô Tekhnopark. Além disso, será construído um estacionamento na entrada do parque.

Todo esse território do parque é apresentada como uma área de descanso no avião. A parte onde a sala de concertos, hotel e estacionamento será afastado do território verde em uma estrada de ser encontrado.

A maior dúvida dos especialistas tem a ver, no entanto, com o custo do projeto. “A queda do rublo reduziu as receitas. O tempo de projetos caros e ambiciosos já passou. A pergunta é: Moscou precisa de uma grande construção? Não se tornará mais uma obra interminável?”, questiona o especialista.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.