Nevasca recorde causa 3.400 km de congestionamento em Moscou

Vias para carros e pedestres acordaram cobertas de neve

Vias para carros e pedestres acordaram cobertas de neve

Instasnow
Primeiro dia de março recebeu mais de 70% da neve esperada para o mês. Nevasca que atingiu capital na terça-feira (1º) foi a mais severa para data desde 1966.

Os engarrafamentos em Moscou causados pela intensa nevasca durante a madrugada desta quarta-feira (2) se estendem por quase 3.400 quilômetros, o que supera a distância entre Moscou e Roma. As informações são do serviço de monitoramento de tráfego do buscador russo Yandex.

As dificuldades de locomoção pela capital russa tiveram início na terça (1º), quando foi registrado o maior nível de precipitação para a data em 50 anos.

Dados da estação meteorológica VDNKh, no nordeste de Moscou, demonstram que o nível de neve acumulado (24 mm) só no primeiro dia de março correspondem a 70% do montante previsto para o mês inteiro (34 mm).

Os valores de precipitação são expressos em milímetros (mm) de água líquida equivalente ao intervalo de tempo dado.

Mais cedo, o prefeito de Moscou, Serguêi Sobiânin, anunciou que levaria dias para eliminar todos os efeitos da queda de neve recorde na capital russa.

A maior precipitação diária de neve em 2 de março havia sido registrada em 1966, quando a cidade registrou 22,2 mm.

Fortes nevascas também foram observadas na terça em outras cidades da região metropolitana de Moscou. A quase 70 km a sudoeste da capital, Naro-Fominsk registrou precipitação de até 28 mm.

Veja abaixo fotos da nevasca publicadas por usuários do Instagram: 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com material da agência Tass

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.