Rússia anuncia primeiro caso de zika

Com condlições climáticas russas, não há chances de vírus se propagar no país, segundo órgão de saúde local

Com condlições climáticas russas, não há chances de vírus se propagar no país, segundo órgão de saúde local

Reuters
Mulher infectada retornou de férias na República Dominicana.

O Rospotrebnadzor (Serviço Federal de Supervisão da Proteção dos Direitos do Consumidor e Bem-Estar Humano da Rússia) registrou o primeiro caso de vírus zika na Rússia. A pessoa contaminada não teve o nome divulgado, mas é uma mulher que retornou das férias na República Dominicana.

Segundo o porta-voz do Rospotrebnadzor, a mulher foi hospitalizada em Moscou e seu estado é estável. “A doente está na quarentena de infecções do hospital. Agora estamos controlando o estado de saúde dos membros da família da doente", disse o porta-voz.

"Com as condições climáticas russa, não há muitas chances de o vírus zika se propagar no país”, completou.

O avião no qual a mulher regressou a Moscou foi desinfectado, segundo o órgão, "para evitar riscos à saúde dos passageiros".

Embora o governo russo garanta que o zika não representa ameaça para o país, a ministra da Saúde, Veronika Skvortsova, anunciou que a Rússia está desenvolvendo uma vacina que agiria especificamente contra esse vírus. 

O vírus zika foi isolado pela primeira vez em 1947, em Uganda. A doença é endêmica na África e em algumas áreas da Ásia. O primeiro caso no Brasil foi registrado no Brasil em 2014.

Em 1º de fevereiro, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou emergência de saúde internacional, devido à possível relação entre o vírus zika e os casos de microcefalia em recém-nascidos registrados no Brasil.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.