Papa faz declaração de proteção mútua com Patriarca russo

Guerra na Síria, na Ucrânia e valores familiares foram outros pontos de declaração conjunta

Guerra na Síria, na Ucrânia e valores familiares foram outros pontos de declaração conjunta

Rg
Autoridades religiosas se encontraram em Cuba e clamaram pela proteção dos cristãos no Oriente Médio e Norte da África.

O Papa Francisco encontrou-se, na sexta-feira (12), com seu análogo, Patriarca Kirill, da Igreja Ortodoxa Russa, em Havana, onde os dois assinaram declaração conjunta sobre a proteção dos cristãos no Oriente Médio e no Norte da África. 

No documento, que foi alinhado com antecedência, os dois ainda trataram de temas como a família e os valores familiares, além da guerra na Síriana Ucrânia e a siruação dos refugiados do Oriente Médio e outras regiões.

"Passamos duas horas discutindo de maneira aberta e fraterna, com a compreensão de responsabilidade sobre nossas Igrejas, nossos crentes, pelo futuro do cristianismo e da civilização humana. Foi uma conversa muito substancial, que nos deu a possibilidade de entender e sentir a posição do outro", disse o Patriarca Kirill após o encontro. 

"Os resultados dessas conversas nos permitem dizer que as duas Igrejas podem proteger os cristão de todo o mundo e, com total responsabilidade, trabalhar juntas para que não haja guerra, para que por toda a parte se respeite a vida humana, para que se fortaleça a moral humana e para que, por meio da participação da Igreja na vida da sociedade contemporânea, a sociedade se glorifique o nome sagrado do Pai e do Filho e do Espírito Santo", disse Kirill.

"Falamos como irmãos. Porque somos bispos, temos crença cristã e buscamos caminhos semelhantes", declarou o Papa Francisco após o evento.

Ele disse ainda que conversou com Kirill "muito francamente". "Nesse diálogo, senti a presença do Espírito Santo", disse Francisco.

Publicado originalmente pela Rossiyskaya Gazeta

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.