Cai número de russos que assistem à TV, revela pesquisa

Apesar de queda, televisão ainda mantém liderança na busca por informações

Apesar de queda, televisão ainda mantém liderança na busca por informações

Reuters
Embora a televisão ainda seja o meio de comunicação predominante no país, excesso de notícias negativas e propaganda política tem gerado queda de audiência e aumento da desconfiança.

O número de telespectadores na Rússia caiu de 94% para 85% ao longo dos últimos seis anos, segundo uma pesquisa do instituto independente Centro Levada. Paralelamente, constatou-se que apenas 41% dos russos têm confiança nas informações divulgadas pela TV.

O fenômeno, segundo o diretor do Centro de Estudos Políticos da Universidade de Finanças da Rússia, Pável Sálin, se deve sobretudo a uma transição da manipulação à propaganda política.

“Se a manipulação da mídia leva as pessoas a certas conclusões, a propaganda fornece respostas categóricas e divide o mundo em preto e branco. Isso funciona em curto e médio prazo, mas, em longo prazo, os telespectadores começam a rejeitar tais informações”, afirma.

Sálin ressalta que, apesar da queda de consumo de produtos televisivos registrada no recente estudo, apenas 10% da população buscam informações de forma independente.

“As pessoas estão acostumadas a consumir as informações passivamente. Cerca de 90% dos russos continuarão a ler notícias escolhidas pelos editores”, diz o acadêmico. “A televisão continua a ser a fonte mais conveniente, fácil e popular de receber informações.”

Para a diretora do programa regional do Instituto Independente de Estudos Sociopolíticos, Natália Zubarêvitch, os russos ainda estão acostumados a passar muito tempo em frente à TV.

“Muitos não estão acostumados a ler livros e não conhecem outras maneiras de passar o tempo. É uma forma de degradação da sociedade, mas os russos não são os únicos, os norte-americanos, por exemplo, também fazem o mesmo”, diz Zubarêvitch. 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.