Autoridades alertam refugiados sobre risco de congelamento

Migrantes enfrentam geadas em busca de asilo na Escandinávia

Migrantes enfrentam geadas em busca de asilo na Escandinávia

Denis Kojevnikov/TASS
Temperatura em posto na fronteira com Finlândia chegará a - 40°C. Entre 5 e 20 refugiados esperam diariamente para atravessar o controle de imigração.

As autoridades da região de Murmansk, no norte da Rússia, têm aconselhado os refugiados do Oriente Médio que viajam à Finlândia para evitar ficar dentro de carros perto dos postos de fronteira devido às condições extremas de temperatura.

O posto de controle Salla, através do qual a maioria dos refugiados atravessam a fronteira da Rússia com a Finlândia, é uma das áreas mais frias de Murmansk.

O centro local de monitoramento climático prevê que a temperatura em Murmansk chegará a - 40°C nos próximos dois dias.

“É perigoso ficar perto do posto temporário quando a temperatura cai drasticamente e as pessoas devem entender isso”, disse o primeiro vice-governador da região de Murmansk, Aleksêi Tiukávin, em reunião com autoridades nesta terça-feira (19).

Atualmente, entre 5 e 20 pessoas atravessam a fronteira russo-finlandesa todos os dias.

Segundo Andrêi Ivanov, chefe da administração do distrito de Kandalakchski, no sul de Murmansk, os migrantes em trânsito devem optar por hotéis da região em vez de esperar ao ar livre durante as geadas.

“Os refugiados também devem obter as últimas informações sobre o número de pessoas que o governo finlandês pretende aceitar”, ressaltou.

De acordo com as autoridades locais, nenhum caso de morte por congelamento foi oficialmente confirmado até agora. A imprensa, porém, divulgou na segunda-feira (18) que um refugiado teria morrido dentro de seu carro enquanto esperava na fila.

A morte do homem de 33 anos está sendo investigada, informou o governo regional, acrescentando que o refugiado sofria de uma doença cardiovascular.

Publicado originalmente pela agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.