Palavrões são proibidos em centros de detenção provisória

Vendas internas e repasse de pertences terão maior controle

Vendas internas e repasse de pertences terão maior controle

Arkádi Kolibalov/Rossiyskaya Gazeta
À espera de julgamento, prisioneiros devem evitar jargão carcerário, mas ganham direto de receber diversos produtos e até usar eletrônicos sem internet.

O Ministério da Justiça russo proibiu que prisioneiros mantidos em unidades de detenção provisória de usar palavrões e jargão carcerário, segundo um comunicado divulgado pelo Ministério da Justiça russo.

Os prisioneiros estão agora proibidos “ao se comunicar com outras pessoas, de usar expressões e gírias obscenas, ameaçadoras, injuriosas ou difamatórias”, lê-se na nota.

O documento cita ainda que os indivíduos mantidos em prisão preventiva não têm permissão para bloquear ou obstruir câmeras de vigilância, passar pertences pessoais a outros detentos, comprar ou emprestar itens violando o procedimento estabelecido, ou tomar medicamentos sem prescrição de um médico local.

No entanto, o ministério ampliou a lista de objetos pessoais e alimentos permitidos. 

“Suspeitos e indiciados têm permissão para transportar e armazenar chaleiras elétricas, sabonete em gel, espuma de barbear e desodorante, exceto aerossóis”, além do direito de usar dispositivos eletrônicos sem câmeras ou acesso à internet.

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.