Dado por morto, homem viveu 11 anos nos subterrâneos de floresta

O homem acabou denunciado por habitantes de um povoado mais próximo que o achavam muito esquisito.

O homem acabou denunciado por habitantes de um povoado mais próximo que o achavam muito esquisito.

Shutterstock / Legion-Media
Fugindo do exército, rapaz foi parar a quase 7,5 mil km de casa e vivia de colher e vender cogumelos, frutas silvestres e sucata.

Em 2003, um jovem de Taganrog, cidade 954 km a sul de Moscou, foi convocado para o Exército e enviado para a cidade militar de Viliutchinsk, na península do Kamtchatka, a 7,5 mil quilômetros de casa.

Então, ele tinha 19 anos e serviu apenas metade do tempo previsto, ou seja, um ano. Depois disso, fugiu. Como abandonar o serviço militar é crime no país, um mandado de captura foi emitido em seu nome.

Poucos meses depois da fuga, seus familiares identificaram um corpo, que foi enterrado como sendo dele.

O jovem tinha tanto medo de ser pego pela polícia que nunca mais entrou em contato com a família e continuou vivendo na floresta - sem temer, porém, os ursos e insetos que vivem aos montes no Kamtchatka.

Para se esconder, ele cavou um buraco na terra a um 1,5 quilômetro da estrada e cobriu-o com ramos e uma camada de terra.

"Aquele misto de toca e casa não tinha condições mínimas para sobrevivência, água corrente ou instalações sanitárias. Mas ali foram encontradoslençóis limpos, roupas e outros artigos domésticos", disse à agência de notícias Tass a porta-voz do departamento regional do Ministério do Interior, Alla Ivanova.

Ganhando a vida no bosque

Mesmo em condições tão precárias, o homem conseguiu se sustentar. Durante o verão, ele colhia frutas silvestres e cogumelos, que vendia.

Já quando começava a temporada do salmão, trabalhava para os pescadores, legais ou ilegais, que nesse período do ano invadem os rios do Kamtchatka para capturar peixes cheio de ovas - já que o caviar é um dos bens mais preciosos e mais famosos da península.

No inverno, ele colhia sucata, e conseguiu até um trabalho com suínos em uma fazenda.

Mas, apesar de ter aprendido a se virar por ali, o homem acabou denunciado por habitantes de um povoado mais próximo que o achavam muito esquisito.

Agora, o desertor só poderá escapar da prisão se conseguir provar em tribunal que fugiu de sua unidade militar devido a "circunstâncias excepcionais".

Se isso não acontecer, ele poderá enfrentar uma pena de até sete anos de prisão.

O homem disse ainda à polícia que a fuga se deu devido a problemas familiares.

Com material do portal Gazeta.Ru.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.