Aventureiro planeja dar a volta ao mundo em um balão

Há 20 anos o viajante alimenta a ideia de dar a volta ao mundo em um balão.

Há 20 anos o viajante alimenta a ideia de dar a volta ao mundo em um balão.

Vladímir Trefilov / RIA Nóvosti
Voo solitário irá durar entre 13 e 15 dias e percorrerá mais de 30 mil km.

O viajante Fiôdor Kôniukhov, famoso na Rússia por suas aventuras no polo norte, no polo sul e em sete montanhas do planeta, pretende agora bater o recorde do norte-americano Steve Fossett, o primeiro homem a dar a volta ao mundo em um balão sozinho.

"Tenho medo antes de cada viagem, não perdi esse sentimento, e é bom que assim seja”, admitiu Kôniukhov, de 64 anos, durante uma entrevista coletiva em Moscou. “O que me ajuda é o fato de a preparação levar vários anos, isso permite relaxar um pouco", continuou.

Há 20 anos o viajante alimenta a ideia de dar a volta ao mundo em um balão, tendo se inspirado em dois voos bem-sucedidos: o de Bertrand Piccard e Brian Jones, em 1999, e o de Stephen Fossett, em 2002. No entanto, ao contrário de seus antecessores, Kôniukhov pretende concluir a volta ao mundo logo na primeira tentativa. O início de seu voo solitário em um balão da marca britânica Cameron Balloons está marcado para junho de 2016 na costa oeste da Austrália.

"Ninguém no mundo constrói balões melhores do que os britânicos, por isso, o nosso balão foi feito pela Cameron Balloons, mas será com hélio russo que ele vai voar", disse Kôniukhov.

De acordo com os cálculos preliminares, a viagem irá durar entre 13 e 15 dias e será feita a uma altitude de 11 km, com uma velocidade máxima de 300 km/h.

O viajante irá sobrevoar o deserto australiano, o Mar da Tasmânia, a Nova Zelândia, o oceano Pacífico, a ilha de Páscoa, o sul do Chile e Argentina, o oceano Atlântico, a África do Sul e o Oceano Índico. A distância total percorrida no voo será de cerca de 33 mil km.

"Ao todo, só poderei dormir cerca de quatro horas por dia dentro de uma cápsula especial, com um traje espacial leve. Levarei comigo cerca de três quilos de comida liofilizada e dois galões com 50 litros de água potável", disse Kôniukhov.

O balão será equipado com o com o sistema de posicionamento por satélite russo, o Glonass, painéis solares e câmeras de vídeo, que deverão garantir a cobertura ao vivo da viagem. O voo de longa duração só será possível graças à estrutura do balão, que tem dois níveis, combinada com a utilização de hélio e energia solar.

Segundo os organizadores, um dos centros de controle do voo será o escritório da Virgin Australia, do conhecido empresário e amigo de Kôniukhov Richard Branson.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.