Ministro sugere troca de cotas para estrangeiros por bolsas

A Universidade Estatal de Moscou Lomonossov foi classificada em 161º lugar entre as 800 instituições listadas no mais recente ranking anual Times Higher Education

A Universidade Estatal de Moscou Lomonossov foi classificada em 161º lugar entre as 800 instituições listadas no mais recente ranking anual Times Higher Education

Tatiana Podoinitsyna/RIA Nôvosti
Especialistas concordam que atual sistema para ingresso em universidades russas não permite atrair e reter talentos estrangeiros, pois instituições não têm participação no processo de seleção.

Para aumentar a projeção internacional das universidades russas, o atual sistema de cotas para estrangeiros deve ser substituído por um novo programa de concessão de bolsas, declarou o vice-chanceler russo, Igor Morgunov, em reunião com diplomatas estrangeiros formados no país.

"Em longo prazo, seria aconselhável passar todo o processo de formação de estudantes estrangeiros na Rússia para o sistema de concessão de bolsas de estudo”, disse Morgunov. Hoje, o programa de cotas é inteiramente mantido pelo orçamento do Ministério da Educação.

O processo para distribuição de cotas impede a participação da universidade na seleção dos alunos e nem sempre consegue reter os alunos mais motivados, segundo especialistas. “A Rússia deve trabalhar duro para atrair e reter talentos de liderança global de todo o mundo”, disse à Gazeta Russa Phil Baty, editor-chefe da revista britânica “Times Higher Education”, que publica anualmente o ranking global THE.

Atualmente, para entrar no sistema de cota, o estudante estrangeiro deve apenas comparecer a um dos centros da Rossotrudnitchestvo (Agência Federal de Assuntos da CEI, Compatriotas no Exterior e Cooperação Internacional Humanitária, na sigla em russo) e entregar os documentos solicitados.

A universidade só tem a possibilidade de influenciar a seleção dos alunos no caso de estudantes que entregaram documentos à Rossotrudnitchestvo, mas nem mesmo eles possuem informações completas sobre a instituição de ensino superior na qual irão ingressar.

“O sistema de concessão de bolsas de estudo permitiria que a universidade selecionasse de forma independente os melhores alunos”, disse à Gazeta Russa o diretor do Instituto de Educação da Escola Superior de Economia de Moscou, Issac Frumin.

“Nível da Alemanha”

Entre as universidades russas, apenas a UrFU (Universidade Federal dos Urais), em Iekaterinburgo, oferece bolsas de estudo a estudantes estrangeiros e já possui mais de 1.500 alunos no programa.

“Queremos melhorar radicalmente o perfil dos estudantes do exterior”, diz Maksim Khomiakov, vice-reitor da universidade. “Com estudantes de países do nível da Alemanha”, acrescenta.

A UrFU oferece cerca de 50 bolsas de estudo por ano, e as requisições são aceitas a partir de janeiro. “O valor da bolsa (180 mil rublos ou US$ 2.900) cobre o custo do ensino, que geralmente não passa de 150 mil rublos, e garante uma vida modesta em Iekaterinburgo”, afirma Khomiakov.

Os alunos estrangeiros podem também pleitear uma bolsa de estudo para intercâmbio, com duração de um semestre ou um ano, em uma das 45 universidades estrangeiras que mantêm parceria com a Universidade dos Urais.

Classificada no top 10 das universidades russas, a UrFU ocupa o 77º lugar no ranking das universidades do Brics, publicado pela empresa britânica QS.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.