Série contará história fictícia de ocupação russa na Noruega

Cartaz de divulgação da série norueguesa

Cartaz de divulgação da série norueguesa

kinopoisk.ru
Produção foi criticada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia.

O TV2, maior canal independente da TV norueguesa, está produzindo um seriado que conta a história fictícia de uma ocupação russa na Noruega, informou a edição local do jornal “LO News”.

Os eventos do seriado giram em torno de uma suposta invasão da Noruega por parte do exército russo com o apoio da União Europeia, após a chegada ao poder norueguês de ambientalistas radicais que paralisam a indústria petrolífera do país. Após ser invadido pela Rússia, o país escandinavo tem seus campos de petróleo ocupados.

De acordo com a BBC, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia reagiu de forma negativa ao anúncio da série. A Embaixada da Rússia na Noruega também manifestou reprovação em relação à produção norueguesa, que deve estrear em breve. "Embora os autores do seriado se esforcem para destacar que a história não passa de ficção e que não tem nada a ver com a realidade, fala-se nesse filme de países bastante reais e à Rússia, infelizmente, coube o papel de agressor", comentou a embaixada. Ainda segundo a embaixada, os autores do seriado decidiram seguir o estilo das piores tradições da Guerra Fria, assustando o espectador norueguês com a ameaça inexistente do Leste.

Para o historiador e professor da Universidade de Oslo Bjørn Detlef Nystad, o projeto televisivo é ofensivo para os noruegueses, que em 1944 foram libertados da ocupação alemã pela União Soviética.

"Filmes desse tipo nunca foram feitos em lugar nenhum. Talvez apenas nos Estados Unidos durante a Guerra Fria, mas mesmo assim tenho minhas dúvidas. Estou certo de que os noruegueses ficarão chocados quando a série sair na TV e as relações com a Rússia claramente não ficarão melhores", disse o historiador.

Publicado originalmente pelo jornal RBC

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.