Em carta a Pútin, distribuidoras criticam proposta de tributar filmes estrangeiros

Filmes estrangeiros responderam por 82% da arrecadação total em 2014 Foto: Iliá Pitalev/RIA Nôvosti

Filmes estrangeiros responderam por 82% da arrecadação total em 2014 Foto: Iliá Pitalev/RIA Nôvosti

As maiores distribuidoras de filmes do país enviaram uma carta ao presidente russo, Vladímir Putin, pedindo a anulação da proposta de criar um imposto sobre ingressos de filmes estrangeiros. Medida polêmica poderia levar a onda de falência de cinemas por todo o país.

A proposta lançada pelo primeiro-ministro russo, Dmítri Medvedev, e apoiada pelo ministro da Cultura, Vladímir Medinski, iria inevitavelmente elevar o custo de ingressos e reduzir a clientela nos cinemas, apontam as distribuidoras.

“As grandes empresas vão sobreviver à carga do imposto, mas cinemas em pequenas vilas e cidades irão à falência, eles vão perder o seu público”, disse o CEO do estúdio Lenfilm, Eduard Pichugin, uma das principais vozes por trás da carta a Pútin.

Segundo as autoridades que defendem a proposta, o imposto seria usado como fonte adicional de financiamento para o cinema russo, que hoje tem dificuldade para competir com filmes estrangeiros.

“Se um projeto de lei desse tipo for realmente apresentada, ninguém na indústria do cinema russo deverá sofrer”, disse Medinski, em coletiva de imprensa na quinta-feira (9). “A proposta ainda está sendo trabalhada.”

As bilheterias russas faturaram US$ 805 milhões na Rússia em 2014, com US$ 665 milhões, ou 82% do total, às custas de filmes estrangeiros.

Se o imposto russo de 18% sobre vendas fosse aplicado a ingressos para filmes estrangeiros, seriam arrecadados quase US$ 123 milhões ao ano.

 

Publicado originalmente pelo jornal The Moscow Times

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.