Jogadora da seleção russa de surdos morre atropelada no Rio

Família tem dificuldades para fazer traslado do corpo de Iana Budiukina, que custa 15 mil dólares. Jogadora foi atropelada em 30 de junho no Rio de Janeiro, onde estava a turismo, e não tinha seguro de viagem. Jornais brasileiros divulgaram apenas "morte de mulher não identificada".

A turismo no Brasil, jogadora tentava organizar fundação para ajudar crianças surdas.Foto: Vk.com

A família da jogadora da seleção russa de futebol de surdos Iana Budiukina, 31, está enfrentando dificuldades em trasladar seu corpo do Brasil para a Rússia.

A russa morreu atropelada no dia 30 de junho, às 3:48, dentro do túnel São Conrado, na estrada Lagoa-Barra, de acordo com informação do DEAT (Delegacia de Especial Apoio ao Turismo) divulgada pelo consulado do Brasil em Moscou.

Segundo a família de Budiukina, o consulado informou a necessidade de se pagar uma taxa de 15 mil dólares pelo traslado, já que a russa não tinha seguro de viagem. Ela estava no Brasil a turismo, acompanhada de uma amiga.

Além das dificuldades financeiras, há a barreira da língua e da comunicação, pois os pais e a irmã da jogadora também são surdos.

"Tento ajudar sua família agora. Restaram os pais e a irmã mais velha de Iana, Irina, que também são surdos-mudos. Eles não podem falar pelo telefone e nem sempre há tradutores para surdos-mudos. Devido a essa condição, os pais dela não são economicamente ativos. A Irina já está em Moscou, tentando resolver a questão", contou ao portal Sovsport.Ru a sobrinha da jogadora, Elena Rodtchenkova.

Iluminada

Segundo Rodtchenkova, a jogadora estava no Brasil como turista, mas tentava organizar uma fundação de auxílio a crianças surdo-mudas, como já havia feito anteriormente na Índia, com a criação  da instituição Budya.

"Pode-se dizer que ela era uma pessoa iluminada", diz Rodtchenko.

Ela acrescenta que não sabe maiores detalhes da morte, já que os jornais brasileiros que divulgaram o acidente só tratavam do trânsito gerado.

"A amiga da Ina está por lá agora e viajava com ela. Ela enviou uma foto da Ina à Irina, e links para matérias nos jornais locais. Por meio desses não dá para entender muito bem de que se trata. Eles falam de uma via interditada, mas não de como a Ina foi parar lá. Também não se diz quem é o culpado, se o motorista ou a transeunte", completa.

Os diáriosO Globo e O Dia divulgaram a notícia poucas horas após o acidente sem maiores detalhes.

Na página de Iana na rede social russa VK.com, multiplicam-se as mensagens de amigos e admiradores da jogadora.

Em 2013, a russa conquistou prata com a seleção do país nas "Surdolimpíadas", o melhor resultado do país em toda a história do campeonato.

 

Com material do  portal Sovsport.Ru e do Riafan.Ru

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.