Movimento dos ‘karaokeiros’ ganha os palcos na Rússia

Clubes de karaokê surgiram na Rússia logo após a queda da União Soviética Foto: RIA Nóvosti

Clubes de karaokê surgiram na Rússia logo após a queda da União Soviética Foto: RIA Nóvosti

De passatempo a modalidade esportiva, karaokê conquista seguidores em mais de 20 regiões do país. Peculiaridade dos clubes russos está no fato de que geralmente estão instalados em um grande salão, onde o microfone passa de mesa em mesa.

Não é à toa que Moscou sediará o primeiro torneio russo-asiático de karaokê, intitulado “Campeonato Asiático”, em 2016.  Ao longo dos últimos 10 anos, esse passatempo  deixou de ser um simples hobby na Rússia para se tornar uma modalidade esportiva importante.

“Os ‘karaokeiros’ são a minha segunda família”, diz Mikhail Khaldei, um ‘veterano’ do karaokê que ocupou o quinto lugar no Campeonato Mundial de 2006 e hoje participa dos torneios na qualidade de juiz. “As pessoas que cantam no palco se abrem diante das outras e isso as aproxima.”

A atmosfera nos campeonatos regionais é, de fato, amigável e acolhedora. Para a realização de tais eventos, os organizadores preferem alugar um café com palco, e não apenas um salão. Sobre o tablado pessoas de diferentes tipos se apresentam, e os prêmios chegam até 50.000 rublos (mil dólares).

“Quando uma pessoa percebe que em breve terá que se apresentar em um grande concurso, ela começa a trabalhar para desenvolver a sua voz e o lado artístico. E nós a ajudamos a se transformar em uma artista, temos até professores”, diz Váleri Korolenko, coproprietário do clube Karamel, na zona sul de Moscou. Neste local acontecem as etapas eliminatórias para selecionar os participantes do Campeonato Mundial.

Em 2006, cerca de cem moscovitas integravam o ‘movimento do karaokê’ na Rússia. Hoje mais de 20 regiões do país participam do campeonato nacional. 

Pré-concerto

Os clubes de karaokê surgiram na Rússia logo após a queda da União Soviética. Não é de se surpreender que em pouco mais de 20 anos, essa indústria tenha crescido tanto, afinal, a Rússia é um país ligado à música e conhecido pelas tradições de festejo à mesa.  

A peculiaridade dos clubes russos está no fato de que geralmente estão instalados em um grande salão, onde o microfone passa de mesa em mesa. “As pequenas cabines não fizeram sucesso aqui. Precisamos do formato de sala de concertos", diz Viatcheslav Lopunov, presidente da União Nacional dos ‘Karaokeiros’.

Porém, quem não quiser compartilhar o recinto com mais quatro ou cinco mesas, também tem a opção de salões VIP – embora por um preço mais salgado do que o habitual.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.