País estreia em pódio do tráfego de internet

Indicador revela nível de informação e reflete efetividade econômica e nível tecnológico de diversos países. Foto: Valéri Charifúlin/TASS

Indicador revela nível de informação e reflete efetividade econômica e nível tecnológico de diversos países. Foto: Valéri Charifúlin/TASS

Rússia ficou em terceiro lugar, segundo pesquisa da Similar Web, atrás apenas de EUA e Reino Unido. Em indicador de visitantes únicos, país ficou atrás do Reino Unido por menos de um ponto percentual, e Brasil veio logo em seguida.

A Rússia entrou para o pódio dos países que com maior tráfego de  internet do mundo, atrás apenas dos EUA e do Reino Unido, e tornou-se o primeiro país não anglófono no ranking, de acordo com estudo realizado pela companhia Similar Web em janeiro de 2015;

O indicador revela o nível de informação e atividade das populações de diversos países, refletindo sua efetividade econômica e nível tecnológico.

A pesquisa ainda mostra que um quarto do tráfego mundial (25,05%) da rede foi provido pelos EUA.

Além disso, o Reino Unido gerou 5,51% das visitas de usuários únicos,  ultrapassando a Rússia em menos de um por cento: o país teve um índice de 5,05%. O Brasil veio logo atrás da Rússia, com 4,42%;

China de fora

A Similar Web não mediu o tráfego da China, já que, oficialmente, os chineses não podem utilizar boa parte das páginas da rede.

A Coreia do Sul também não entrou no ranking, e o Japão, conhecido por sua alta tecnologia ficou em 9° lugar, com 2,64% do tráfego, ficando para trás do Canadá, cuja população é de quase um quarto da do país asiático.

O fenômeno é explicado, porém, pelo fato de que a pesquisa baseou-se no tráfego de "desktop", enquanto nos principais países asiáticos a internet móvel desenvolve-se de maneira extraordinária. Pelo mesmo motivo não entraram no ranking países populosos da península indiana, onde a evolução da internet se baseou sobretudo nas redes sociais e nos smartphones.

A maior parte do tráfego mundial foi gerada por entradas diretas nos sites de browsers, totalizando 43,38% de todas as visitas. Em segundo lugar, ficaram as ferramentas de busca, com 27,79%, e os direcionamentos de um link a outro totalizaram 21,13%.

Apesar da ideia de que as redes sociais sejam o grande motor da internet na atualidade, essas tiveram apenas 5,81% dos visitas. 

 

Versão reduzida de material do portal Gazeta.Ru. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.