Um a cada quatro russos é contra piadas com o presidente

Um quarto dos russos se diz contra fazer piadas com o presidente Vladímir Pútin Foto: RIA Nóvosti

Um quarto dos russos se diz contra fazer piadas com o presidente Vladímir Pútin Foto: RIA Nóvosti

Mesmo condenando piadas sobre Pútin, governo, política, problemas sócio-econômicos do país, guerra e até a história da Rússia, só 5% dos cidadãos do país consideram não ter senso de humor, de acordo com pesquisa divulgada pelo VTsIOM.

De acordo com pesquisa divulgada pelo VTsIOM(Centro Russo de Pesquisas de Opinião Pública) nesta quarta-feira (1), um quarto dos russos se diz contra fazer piadas com o presidente Vladímir Pútin, o governo e a política em geral, e 22%, com os problemas sociais e econômicos do país.

Outros temas que os russos acreditam ser inadmissíveis em piadas são a guerra (63% dos respondentes), tragédias com pessoas próximas (61%) e genocídios, epidemias e ataques terroristas (58%).

Mais da metade dos entrevistados (57%) também afirmou que não se deve zombar de valores religiosos; 44%, de diferenças étnicas; 37%, da história da Rússia; 28%, dos sonhos e desejos alheios.

Engraçadinhos, mas com limites

Dos entrevistados pelo VTsIOM, 29% disseram ter senso de humor "em grandes proporções"; 50%, "em algum grau"; 13%, "em pequenas proporções"; e 5% afirmaram não ter qualquer senso de humor.  

Pessoas jovens, do sexo masculino e com alto grau de instrução são as que mais dizem ter senso de humor no país. A fração dessas respostas proveniente de indivíduos com esse perfil mantém-se quase inalterada desde 1998, em 94%.

Ainda de acordo com o estudo, um a cada três russos assiste a programas humorísticos algumas vezes por semana.

O estudo foi realizado entre 21 e 22 de março de 2015 pelo VTsIOM e contou com 1.600 respondentes em 132 cidades e 46 regiões administrativas e repúblicas russas. A margem de erro é inferior a 3,5%, segundo o instituto.

 

Com material da agência Ria Nôvosti e do portal Slon

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.