Viagem do russo ao exterior deve ficar 80% mais cara

Egito e Turquia continuam a ser principais destinos do turista russo Foto: PhotoXPress

Egito e Turquia continuam a ser principais destinos do turista russo Foto: PhotoXPress

Queda do rublo é principal motivo da guinada nos preços. Egito e Turquia continuam a ser principais destinos do turista russo, e já fizeram mudanças para se adaptar ao novo cenário.

As férias do turista russo no exterior devem ficar 80% mais caras até meados de 2015, em comparação ao mesmo período do ano anterior.  Algumas agências de turismo podem até cortar totalmente de seus roteiros alguns destinos mais exóticos. Queda do rublo é principal motivo do salto nos preços dessas viagens.

Dados da Associação das Agências de Turismo da Rússia mostram que os principais pacotes afetados são para destinos populares entre os russos, como Egito, Tailândia, Báli (Indonésia) e Grécia.

Se um pacote para o Egito custava cerca de 15 mil rublos, agora seu valor está em 30 mil rublos. Para a Tailândia, o preço hoje é de 15 mil rublos, Báli, 90 mil, e Grécia, 35 mil. Em média, o valor do pacotes já subiu pelo menos 30%.

Segundo o vice-diretor da associação, Maim Lomidze, até junho os valores dos pacotes internacionais para o exterior devem subir ainda cerca de 30%.

"O principal motivo do salto nos preços é a queda do rublo em relação ao dólar e ao euro. Devido ao aumento na cotação dessas moedas, as buscas por viagens internacionais já caíram quase 50%", diz Lomidze.

Para o diretor da agência "Muzenidis Travel", Aleksandr Tsandekíni, no final do verão as buscas por pacotes internacionais poderão ter caído até 30% ou 40%.

Um relatório da Associação das Agências de Turismo da Rússia do final de 2014 mostra que Turquia e Egito permanecem como os destinos mais populares entre os russos. O setor hoteleiro desses países reduziram os preços para turistas russos em dezembro e não encareceram as acomodações nos feriados de final de ano.

Entre julho e setembro de 2014, algumas das principais agências de turismo do país foram a falência, como a "Lanta-Tur Voyage", a "Labirint", a "Roza vetrov. Mir" e a "Neba", entre outras. Milhares de turistas sofreram as consequências de diversas formas - alguns, já estando no exterior, sequer tinham bilhetes para voltar ao descobrir que suas agências haviam falido.

Além da crise do rublo, outro fator que influenciou a nova tendência foi a recomendação do governo de que integrantes das forças de segurança não viajassem para o exterior. 

 

Publicado originalmente pelo RBC Daily

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.