Policiais da Sibéria poderão utilizar renas para patrulhas

Supõe-se que em cada posto da polícia haverá de 3 a 4 animais de serviço e um trenó especial Foto: Lev Fedosseiev/TASS

Supõe-se que em cada posto da polícia haverá de 3 a 4 animais de serviço e um trenó especial Foto: Lev Fedosseiev/TASS

Para as autoridades russas, as renas prestarão um serviço melhor e mais confiável do que automóveis ou motos para neve nas condições climáticas da península.

Os policiais da península de Iamal poderão passar a usar renas como meio de transporte. Para as autoridades russas, as renas prestarão um serviço melhor e mais confiável do que automóveis ou motos para neve nas condições climáticas da península.

Com condições extremas, a Península de Iamal está situada no norte da Sibéria Ocidental. A maior parte da península está além do Círculo Polar Ártico, na zona dos desertos árticos. O inverno aqui dura nove meses, e as temperaturas, por vezes, chegam aos 60 graus celsius negativos.

A região é habitada por representantes de pequenos povos indígenas do norte. São os khanty, os nenets, os komi, entre outros. Eles vivem nestas terras de clima severo desde a antiguidade.

Os habitantes destas terras moram em acampamentos nômadas remotos, aos quais, quando necessário, os policiais têm dificuldades de chegar usando transportes convencionais –quadriciclos e motos para neve se desgastam rapidamente devido ao clima rigoroso e à ausência de estradas na tundra.

Por isso, o Ministério do Interior da Rússia propôs o uso de renas em Iamal como transporte. Ao contrário das máquinas, elas estão bem adaptadas às severas condições climáticas da península.

Criação de renas

A península tem o estatuto não-oficial de centro mundial de criação de renas. O número de renas domésticas ali é superior a 600 mil cabeças, o maior rebanho do mundo.

A ideia de adquirir renas de serviço foi proposta aos funcionários do ministério pelos próprios policiais de Iamal. Muitos deles são indígenas do norte. Frequentemente, os policiais pedem animais emprestados a pastores conhecidos para chegar ao local de uma chamada.

Agora, a prática deveria ser legalizada, acredita o Ministério do Interior, onde já existe um despacho detalhando a dieta de uma rena de serviço. Um animal deve receber meio quilo de aveia e um quilo de feno por dia. Além disso, as renas devem receber diariamente um quilograma de pão de uma mistura de farinhas de centeio e trigo de primeira qualidade, bem como seis quilos de cladonia –um musgo que cresce na tundra, também chamado de musgo de renas.

Supõe-se que em cada posto da polícia haverá de 3 a 4 animais de serviço e um trenó especial.


Publicado originalmente pela Voz da Rússia

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.