‘Passaporte turístico’ de Moscou promete descontos de até 80%

Novo cartão para visitantes oferece vantagens em 74 museus e mais de 100 eventos na capital Foto: TASS

Novo cartão para visitantes oferece vantagens em 74 museus e mais de 100 eventos na capital Foto: TASS

Turistas têm uma maneira nova – e mais econômica – de visitar os pontos turísticos da capital. Pelos cálculos dos idealizadores do chamado “passaporte turístico cultural”, economia em ingressos para os museus e exposições pode chegar a até 80%.

Lançado recentemente em Moscou, o passaporte turístico cultural tem validade de um a 5 dias e oferece descontos que variam de 40 até 80% para a visitação de 74 museus e mais de 100 eventos realizados na capital.

“A singularidade do passaporte consiste no fato de que com ele é possível visitar exposições temporárias. Os outros cartões [turísticos disponíveis no mercado] não possuem essa opção”, diz Mikhail Dubrovski, porta-voz da Comissão de Turismo e Gestão Hoteleira de Moscou. “Além disso, graças aos códigos nos passes não é preciso enfrentar filas para adquirir ingressos.”

Os preços variam de acordo com a categoria do passaporte e o número de dias para visitação: “Turista”, que dá direito a três visitas pelo preço de 590-990 rublos (US$ 13–22); “Viajante”, que permite até seis passeios e custa 990-1.690 rublos (US$ 22-37); e “Descobridor”, com direito 12 visitações pelo preço de 1.690-3.690 (US$ 37-82). Para efeito de comparação, um ingresso para o Museu de Belas Artes Puchkin custa 300-450 rublos (US$ 7-10).

Os anúncios de todos os eventos que podem ser visitados estão disponíveis no site do desenvolvedor Voxxter (http://voxxter.ru/eng/passport). Ali é possível escolher a tarifa, efetuar o pagamento e imprimir o passe ou salvá-lo em QR Code, disponível em dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

 

Foto: divulgação

Também é possível adquirir um cartão de descontos plástico em um dos 9 centros de informações turísticas de Moscou, localizados nas estações ferroviárias Belorússki, Leningrádski, Kíevski, Pavelétski, Kúrski e Kazánski, nos aeroportos Sheremetievo e Vnúkovo, e no Museu Histórico Estatal. Depois de comprar o passaporte turístico é preciso ativá-lo no site do desenvolver do produto.

Concorrentes 

Antes do lançamento do “passaporte turístico” do Voxxter, já estavam operando em Moscou dois cartões similares de descontos para turistas: o MoscowPass e o PrimePass.

“A vantagem do novo passe está, contudo, na possibilidade de escolher entre um número maior de museus, cuja lista continua crescendo”, diz Vitáli Pustobaev, gerente de atendimento ao consumidor do Voxxter. Nessa lista estão incluídos o Museu Púchkin, o Museu de Arte Moderna de Moscou, o Museu da História da Gulag e o Centro Europeu de Tolerância. “Por enquanto, não chegamos a um acordo com a Galeria Tretiakov.”

Com o PrimePass (US$ 24), que tem validade por 24 horas, é possível visitar apenas cinco lugares, mas entre eles está justamente a Galeria Tretiakov, bem como o zoológico, o planetário, o Museu de Moscou e o Centro de Cinema Documentário. Além disso, esse cartão é válido como passagem, sem limite de viagens, em qualquer meio de transporte urbano.

Já o MoscowPass possui tarifas com validades de um, três e cinco dias. O preço varia de 999 até 2.499 rublos (US$ 22-55) e inclui um tour em ônibus turístico, com alguns percursos a pé, passeio de barco pelo rio Moscou, entradas para 14 museus e descontos em restaurantes.

Os dois cartões de descontos possuem uma grande vantagem em relação ao novo “passaporte”: é possível obter informações sobre eles em inglês. Ambos possuem sites e aplicativos em inglês. No caso do cartão do Voxxter, os interessados devem preencher um formulário em russo e depois se orientar com a ajuda de um guia de língua russa. A versão em inglês está sendo desenvolvida, mas seu lançamento ainda não tem data definida.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.