Álcool é responsável por metade dos casos de suicídio no país

Em 75% das tentativas de suicídio na Rússia, vítimas haviam consumido álcool antes de tomar o passo fatal Foto: RIA Nóvosti

Em 75% das tentativas de suicídio na Rússia, vítimas haviam consumido álcool antes de tomar o passo fatal Foto: RIA Nóvosti

O Instituto de Pesquisa Serbsky, principal centro de psiquiatria forense da Rússia, reuniu informações sobre os casos de suicídios no país. Os dados coletados foram apresentados pelo chefe do laboratório de problemas sociais e ecológicos do Instituto, Boris Poloji, nesta segunda-feira (24).

“Os viciados em drogas estão mais predispostos a cometer suicídio. Além disso, um em cada dois casos está relacionado com alcoolismo”, anunciou Poloji, acrescentando que a Rússia está entre os dez países com os maiores índices de suicídio.

De acordo com as estatísticas do Instituto Serbsky, um milhão de pessoas tiraram suas próprias vidas ao longo dos últimos 20 anos. Os homens russos costumam cometer suicídio em uma proporção cinco vezes maior do que as mulheres – no resto do mundo, essa proporção tende a ser de 1 para 3. Os suicídios são mais frequentes entre idosos e pessoas com idade entre 25 e 35 anos.

Em 75% das tentativas de suicídio na Rússia, vítimas haviam consumido álcool antes de tomar o passo fatal. “No caso das mulheres, o risco de suicídio é 37% maior entre aquelas que abusam do álcool”, disse Poloji.

Os números também variam de região para região. “No Cáucaso do Norte, bem como nas regiões sul e central do país, a situação é estável; nas cidades da Sibéria e do Extremo Oriente russo são registrados 30 casos por 100 mil habitantes – uma vez e meia o nível que a Organização Mundial de Saúde considera como crítico”, acrescentou Poloji.

Altaí, Tuva e os distritos autônomos de Tchukot e Nenets são as regiões russas com maior índice de suicídio – 60 casos por 100 mil habitantes.

 

Publicado originalmente pela agência Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.