Mais de 40 atos de vandalismo contra memoriais de guerra no exterior em 2014

Escritórios regionais fiscalizam memoriais em cidades do Leste Europeu e China Foto: Grigóri Kubatian

Escritórios regionais fiscalizam memoriais em cidades do Leste Europeu e China Foto: Grigóri Kubatian

Ocorrências foram registradas sobretudo na Ucrânia e nos países bálticos.

O Ministério da Defesa russo tem sete escritórios para supervisionar cemitérios e memoriais militares no exterior. Eles estão localizados na Hungria, Alemanha, Polônia, República Tcheca, Romênia e China.

“Neste ano, as equipes emitiram certificados para mais de 150 túmulos de guerra não registrados; cerca de 290 sepulturas recém-descobertas estão sendo certificadas; o destino de 11.270 soldados e oficiais soviéticos foi definido, e mais de 30 memoriais foram reformados”, disse o vice-chefe da pasta, general Dmítri Bulgakov.

Segundo ele, a ação de vândalos representou, contudo, um problema sério para a condução do trabalho em países estrangeiros nos últimos anos.

Ao longo de 2014, foram registrados 46 atos de vandalismo contra memoriais de guerra soviéticos e russos em países estrangeiros, sobretudo na Ucrânia e nos Países Bálticos, de acordo com informações do Ministério da Defesa russo. 

Parceria com EUA

Em 2014, a Rússia retomou as atividades de uma comissão interdepartamental para prisioneiros de guerra, militares e pessoas desaparecidas. O coronel-general Valéri Vostrotin, condecorado com título de Herói da União Soviética, foi nomeado para chefiar a comissão, bem como o lado russo da Comissão Conjunta EUA-Rússia sobre Prisioneiros de Guerra e Desaparecidos em Ação.

O Ministério da Defesa russo está planejando abrir um escritório nos Estados Unidos, como parte do trabalho da comissão mista.

 

Publicado originalmente pela agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.